História

Há 70 anos, a televisão chegava ao Brasil; relembre essa história

Hoje, a televisão é um item comum na casa dos brasileiros. Mas isso só aconteceu porque em 18 de setembro de 1950 nascia a primeira emissora de tevê do país com a primeira transmissão no Brasil, feita pela Rede Tupi de Televisão, a TV Tupi, a primeira estação da América do Sul e a quarta do mundo, de responsabilidade do jornalista e empresário Assis Chateubriand, do Diários Associados.

A TV chegou ao Brasil em 1950 (Arquivo: O Cruzeiro/ EM /D.A. Press)

Pioneiro na história da tevê e conhecido no mundo jornalístico, empresarial e político, Chatô, como era conhecido, fez da inauguração da televisão no Brasil um acontecimento transformador na história do país. Se hoje a telinha é paixão nacional é porque o empresário arriscou anos atrás e investiu na importação dos equipamentos para a inédita transmissão.

A estreia da TV Tupi, Canal 3, foi com a exibição da cerimônia de inauguração, com a presença de Assis Chateaubrind, do bispo Dom Paulo Rolim Loureiro e de nomes conhecidos da época ligados à cultura, como o apresentador Homero Silva, a poetisa Rosalina Coelho Lisboa Larragoit e a atriz Lolita Rodrigues que foi responsável por substituir Hebe Camargo na missão de cantar o Hino da TV — ao longo da trajetória, a artista sempre relembrou o feito em outras ocasiões.

A solenidade, nos estúdios em Sumaré, teve de tudo, de atraso, por conta de câmeras que pifaram, até bênção religiosa. O que importa é que, às 17h30 de 18 de setembro de 1950, a tevê brasileira nascia sob o aviso da atriz mirim Sonia Maria Dorce, vestida de índio: “Boa noite! Está no ar a televisão brasileira!”.

Apesar da televisão ter iniciado as transmissões no país em 1950, foi apenas duas décadas depois que o televisor chegou de forma massiva aos lares brasileiros. Durante esses 70 anos, a forma de fazer tevê foi sendo moldada e chegando ao que conhecemos na atualidade, com novelas, conteúdos noticiosos e programas variados de entretenimento, sempre espalhando os costumes sociais.

“(São) 70 anos de uma história que, apesar de episódios tristes e chocantes, temos muito o que comemorar, sendo hoje uma referência internacional de TV e do próprio país. Assis Chateaubriand talvez não tivesse ideia do que estaria por vir, tendo hoje uma quantidade grande, pra muitos países considerada irreal, em número de redes nacionais”, analisa Elmo Francort, jornalista e responsável pelo projeto TV ANO 70, da ABERT – Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão, coordenando o núcleo Memória ABERT, que, nesta sexta-feira (18), lançou o e-book TV Tupi: Do tamanho do Brasil. (Fonte: Correio Braziliense).

To Top
%d blogueiros gostam disto: