História

Especial- 100 anos da terra de Pe Cícero

Desde o último domingo (19) que o municipio de Juazeiro do Norte, Ceará, iniciou os festejos pelos 100 anos de sua fundação. O Padre Cícero foi o seu criador

A dois anos da comemoração do centenário deste município, a cidade abre as portas para diversas manifestações que irão perdurar até 2011. A abertura do Centenário de Juazeiro aconteceu na tarde do último domingo (19). O dia começou com uma alvorada festiva. À tarde, foi aberta a exposição em homenagem ao jornal O Rebate, veículo que defendeu a emancipação política da cidade. A exposição, ocorrida no Centro Cultural Banco do Nordeste do Cariri, marca o centenário da imprensa local. Na ocasião, a lei do Dia Municipal da Imprensa Juazeirense foi assinada.

O município foi emancipado no dia 22 de julho de 1911. Uma das cidades do interior nordestino de maior destaque comemora, na próxima quarta-feira, 98 anos. Juazeiro do Norte, considerada a “meca” dos romeiros de vários estados, foi fundada pelo Padre Cícero, que também foi o primeiro prefeito. Antes era a comunidade de Tabuleiro Grande, pertencente ao Crato. A cidade conseguiu se notabilizar pelo desenvolvimento da economia local, com destaque para o comércio e a indústria de calçados, sendo um dos pólos mais representativos do Estado.

Destaques

A cultura popular é outro grande atrativo. Os pilares do trabalho e da fé fizeram o município ter uma cultura diferenciada. O escritor e jornalista Geraldo Menezes Barbosa, que atualmente preside a Comissão do Centenário, afirma que, quando chegou a falar sobre essa diferença, algumas pessoas acharam estranho. Ele já escreveu oito livros sobre a história do município e do Padre Cícero. “Cada vez fico mais impressionado com essa força misteriosa que Juazeiro tem. É uma coisa transcendental”, diz ele, ao se referir às manifestações de carinho que tem recebido de várias localidades do Brasil a respeito das comemorações do centenário da cidade de Juazeiro do Norte.

A cada ano, milhares de pessoas atravessam o País para se dirigir à Juazeiro, principalmente durante as grandes romarias. Esse é outro importante aspecto em torno da figura mítica do Padre Cícero, cuja santidade é indiscutível para os devotos. As romarias fortaleceram o comércio local e criaram uma verdadeira indústria do turismo religioso em torno da figura do “Padim”.

A cidade tem conseguido, nos últimos anos, ter um crescimento na área educacional, principalmente com a instalação de universidade e faculdades. Cerca de 11 instituições de nível superior, entre particulares e públicas, estão instaladas no município, com aproximadamente 50 cursos superiores despertando, de forma rápida, para uma nova vocação de destaque no Interior.

O nome “Juazeiro” surgiu a partir de uma árvore e “Norte” veio diferenciar a cidade de outras com o mesmo nome. Um dos grandes momentos que mudou a visão de Juazeiro para o mundo foi o milagre da beata Maria de Araújo, em 1889, em que ocorreu o sangramento da hóstia ofertada pelo Padre Cícero. A polêmica continua até hoje em torno desse fato, assim como a crença do povo na santidade do fundador de Juazeiro. O acontecimento até hoje é estudado por pesquisadores de várias partes do mundo.

Dentro das comemorações da Semana do Município, está sendo realizado o Projeto Encenas Juazeiro, de 17 a 22 de julho, no Teatro Municipal Marquise Branca, com vários espetáculos teatrais. As apresentações acontecem às 20 horas, com entrada franca. Primeiro, foi a vez da peça “Esperando Comadre Daiana”, da Companhia Livre Mente. Depois, aconteceu o espetáculo “Avental Todo Sujo de Ovo!”, do Grupo Ninho. Nesta segunda, o dia 20, foi a vez da peça “Maria Roupa de Palha”, da Companhia Amar.

Na terça, aconteceu o espetáculo “Eu Prometo”, de Alysson Amâncio, da Companhia de Dança. As apresentações terminam na quarta-feira com “Caboré”, da Companhia Desabafo. Também está acontecendo a exposição “Juazeiro Como te Vejo”, dentro da proposta cultural da abertura do centenário da cidade. O trabalho é coordenado do gerente de Artes Cênicas da Secretaria de Cultura de Juazeiro (Secult), Assislan Paiva.

 

Padre Cícero permitiu criação de Juazeiro


Em 1872, chega à Tabuleiro Grande Cícero Romão Batista. Oriundo do Crato, ele substituiu o Padre Pedro na capela Nossa Senhora das Dores. Uma vez instalado em sua ação evangelizadora, Padre Cícero trabalhou para que o povoado se desenvolvesse, o que revela a integração entre vida social, política e religiosa. Em 22 de julho de 1911, foi assinada a Lei que elevou o povoado à categoria de Vila e Sede. No dia 4 de outubro de 1911, a Vila de Juazeiro foi inaugurada oficialmente e Padre Cícero foi elevado primeiro prefeito. Em 23 de Julho de 1914, a Vila de Juazeiro foi elevada à categoria de cidade. Mas esta data não é comemorada, e sim a de criação do município.

Morte de Padre Cícero completa 75 anos


Nesta segunda-feira, dia 20, aconteceu a missa tradicional pelos 75 anos de morte do Padre Cícero. Milhares de romeiros lotaram a Praça do Socorro para lembrar a data. Entre as homenagens ao Padim, foi assinado projeto para publicações de manuscritos inéditos do Padre Cícero

Nem bem amanheceu o dia e os moradores deste município e de várias partes do Brasil sairam de ruas e vielas para cumprir um dever mensal, de estarem presentes nas missas do dia 20 de cada mês na Capela do Socorro. É uma data especial, como frisou o bispo Diocesano, dom Fernando Panico, por estar completando 75 anos de morte do “Padim” dos romeiros, Padre Cícero Romão Batista.

Milhares de fiéis participaram da missa campal, na praça do Socorro. No Sesc – Crato, foram feitas homenagens ao Padre Cícero, culminando com a assinatura do projeto para publicações de manuscritos inéditos do Padre Cícero e de outros protagonistas de fatos que envolveram o município de Juazeiro do Norte no período (1889-1911), no valor de cerca de R$ 466 mil.

Especial

Uma celebração especial, que mereceu a montagem de um palanque, além do local habitual para as celebrações, em frente à Capela onde estão sepultados os restos mortais de Padre Cícero. É que participam cerca de 50 reitores da Igreja Católica de todo o Brasil, que fizeram parte do 18º Encontro Nacional de Reitores de Santuários e Centros de Peregrinação do Brasil, no período de 14 a 20 de julho. Nesta terça-feira, muitos padres, a exemplo do reitor do Santuário Nacional de Aparecida do Norte – o maior centro de romaria do Brasil -, padre Darci Nicioli, tiveram a oportunidade de conhecer de perto o fenômeno da religiosidade popular em Juazeiro do Norte.

Em 2010, como preparação para o centenário de Juazeiro do Norte, o reitor de Aparecida anunciou para os fiéis romeiros, a peregrinação da imagem de Nossa Aparecida, nos dias 10 e 11 julho, antecipando o calendário, já que estava prevista no ano do centenário, em 2011. O bispo dom Fernando Panico lembrou do ano sacerdotal e da importância do encontro realizado em Juazeiro.

“O Padre Cícero foi um fiel de Jesus Cristo. A celebração é o início da plenitude da vida, na qual ele já se encontra”, disse o bispo dom Fernando Panico, durante o momento em que presidiu a celebração. Ao lado do palanque, as autoridades políticas e os intelectuais e pesquisadores dos fenômenos religiosos de Juazeiro do Norte e do Padre Cícero.

As visitações passam a ser constantes ao túmulo do Padre Cícero, na Capela do Socorro, que recebe milhares de fiéis de várias partes do Nordeste. Prevendo um grande número de fiéis em Juazeiro, a Setur manterá contato com as secretarias afins no sentido de estruturar o acolhimento aos visitantes.

No período, os peregrinos também visitam lugares considerados sagrados, incluindo a estátua do religioso na Colina do Horto, o Santo Sepulcro, museus e outros templos como a Basílica Menor de Nossa Senhora das Dores. O secretário José Carlos diz acreditar na vinda de cerca de 30 mil devotos e admiradores de Padre Cícero de todo o Nordeste, principalmente Alagoas e Paraíba, de onde sempre partem muitos romeiros rumo ao Juazeiro.

Casa da beata

Segundo adiantou o titular da Setur, no dia 22 de julho acontece a aposição da placa indicativa da casa onde nasceu a Beata Maria de Araújo. No local, atualmente, está construído o prédio dos Correios, na Rua da Conceição, entre as ruas Padre Cícero e São Pedro. A iniciativa é uma parceria da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos com a Prefeitura de Juazeiro. De acordo com José Carlos dos Santos, o padre Reginaldo Manzotti virá a Juazeiro para rezar, cantar e conhecer a terra de Padre Cícero. No mesmo dia, haverá apresentação da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho na Praça dos Romeiros.

Fonte: Diário do Nordeste

To Top
%d blogueiros gostam disto: