Política

Vereadores de Várzea da Roça denunciam o prefeito

Vereadores de Várzea da Roça, município distante 300 km da capital, estiveram esta semana com o líder da Oposição na Assembléia Legislativa, deputado Heraldo Rocha (DEM), quando denunciaram o completo abandono da cidade tanto pelo Executivo municipal quanto estadual.

De acordo com os vereadores Anadilson Pacheco, Evandro Oliveira, Gessival Oliveira e Florisvaldo Alves, todos do PSDB e mais o líder político regional Edmilton Rios, o Dida (DEM) denunciaram que a cidade está sem delegado desde setembro do ano passado, além de enfrentar sérios problemas na área de saúde e educação.

Os vereadores afirmam que sem delegado, a cidade sofre com a ação de bandidos e aumentou sensivelmente o número de assassinatos na região. “Contamos apenas com um agente da Polícia Civil e dois Policiais Militares para uma cidade com mais de 15 mil habitantes. O clima é de insegurança total e não temos a quem recorrer”, denunciaram. Na saúde eles dizem que o único hospital da cidade foi fechado e os pacientes precisam se deslocar para Mairi cuja unidade não tem mais como atender aos varzeanos.

“O Hospital Municipal João Sales Rios foi fechado pelo prefeito Lourivaldo Souza Filho (PMDB) e hoje os pacientes estão sendo transferidos para Salvador ou Feira de Santana, já que Mairi não tem mais como receber pacientes e Várzea da Roça. Soubemos também que o governo do Estado entregou uma ambulância ao município e não sabemos onde está esse veículo, nem se essa doação ocorreu de verdade”, enfatizam os vereadores.

Mais denúncias

 

Eles denunciaram ainda que um médico e um dentista contratados através do Programa Saúde da Família para atuar no distrito de Várzea do Meio nunca apareceram para trabalhar, apesar dos nomes deles estarem mensalmente na folha de pagamento da prefeitura.

“A prefeitura alega ainda que tem um gasto mensal de R$12,5 mil mensais com transporte de pacientes para Salvador e Feira de Santana, sendo que R$8 mil são pagos pelo transporte para a capital e o restante para Feira. Até hoje não temos conhecimento de que um paciente tenha sido transportado para a capital. Nunca foi apresentada a relação de pacientes transportados, apesar das despesas estarem mensalmente registradas nas contas da prefeitura e de sempre cobrarmos esta listagem”, afirmam os vereadores.

Os vereadores ainda declararam que os gastos da prefeitura na gestão Lourivaldo Souza Filho: a coleta de lixo passou de R$17 mil para mais de R$70 mil; o transporte escolar de 1,5 mil estudantes da zona rural subiu de R$45 mil em 2008 para R$153 mil mensais em 2009. “Toda a rede pública atende 5,6 mil alunos e apenas 1,5 mil usam o transporte escolar que teve os preços majorados absurdamente”, denunciaram. Enquanto isso, eles alegam que as escolas municipais José Carneiro de Oliveira e Getúlio Vargas estão sem professores. “No distrito de Várzea do Meio, um imóvel residencial foi transformado em escola sem a menor condição de atender aos estudantes”, afirmaram.

“Hoje, o comércio de Várzea da Roça, por exemplo, está fechando as portas porque o prefeito deixou de movimentar o dinheiro da prefeitura na própria cidade, passando a fazer compras em cidades distantes e que são mais difíceis de serem fiscalizadas”, alegam os vereadores.

Concentração de riqueza

 

Segundo eles, as poucas compras efetuadas na cidade são direcionadas a uma única empresa. “Várzea da Roça é uma cidade pobre, mas temos hoje vários carros de luxo circulando pela cidade, dos prestadores de serviço da prefeitura. O gabinete do prefeito, por exemplo, paga R$4,7 mil no aluguel de uma pick up Hilux de luxo, enquanto a população é transportada em carros velhos”, reforçam as denúncias.

“Nos quatro primeiros meses da atual administração, sem explicar os motivos, o prefeito baixou um decreto de emergência, elevou os gastos sem comprovação e sem realizar licitações. Até a contratação de banda de música para a festa de aniversário da cidade foi contratada com dispensa de licitação devido ao decreto de emergência. Ou seja, vivemos um descalabro total”, afirmam os vereadores.

Até mesmo o salário dos servidores, para ser pago precisaram recorrer à justiça. Segundo os vereadores, em dezembro último, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais aliados aos vereadores de Várzea da Roça, ingressaram com uma ação na Justiça para que a prefeitura pagasse os salários atrasados. “O juiz substituto de Mairi, André Dias, determinou o bloqueio de R$69 mil da conta da prefeitura no Banco do Brasil e determinou o pagamento dos vencimentos dos servidores. Ou seja, nem os salários dos trabalhadores do município a prefeitura está honrando”, acusam.

“O prefeito declara abertamente que esta foi a primeira e última vez que ele se envolve com a política, que vai fazer o que quiser e depois vai deixar a vida pública. Nosso receio é que, quando ele deixar a prefeitura, não vá restar mais nada de Várzea da Roça, porque ele destruiu tudo o que foi construído com esforço e muito trabalho dos varzeanos”, concluíram.

To Top
%d blogueiros gostam disto: