Economia

Alagoinhas define área para a Recouro

Um terreno de 60 mil metros quadrados, na BR-101, foi aprovado pelos diretores para instalação da Fábrica Recouro. Os próximos passos para a implantação da fábrica, que transforma o resíduo do couro em produtos do mercado, passam a ser jurídicos, de infra-estrutura e análise das possíveis isenções tributárias.

Os diretores Vanderlei Carvalim e Trajano Aragão estiveram no gabinete do prefeito Paulo Cezar na tarde desta terça-feira (4) mostrando um anteprojeto para a implantação da unidade da Recouro que, na primeira etapa, oferecerá 300 empregos diretos e 1.500 indiretos. Eles Informaram também que, após três anos de funcionamento, com todo o pólo concretizado, a Recouro empregará 5.000 trabalhadores. A primeira etapa está orçada em R$ 37 milhões.

Para o prefeito Paulo Cezar, caso se concretize a instalação da fábrica, a gestão municipal dará continuidade ao compromisso de geração de emprego e de renda. Os diretores da Recouro garantiram que vão levar o projeto definitivo para apreciação na Câmara de Vereadores. Logo após a visita dos diretores da fábrica ao seu gabinete, o prefeito seguiu com eles e o secretário Eduardo Alvarenga, de Infra-estrutura, para conhecerem o terreno.

A Recouro é uma empresa, com sede no Rio de Janeiro, utiliza resíduos do produto para produzir bolsas, sapatos, cintos e outros objetos. A fábrica reaproveita e transforma o resíduo do couro – o lixo dos curtumes – em materiais para calçados, cartão de visitas, artesanatos, móveis, sapatos, bolsas, palmilhas, carteiras e capas para livros. A empresa exporta os seus produtos para a América Central, do Sul e a Ásia.

Os dirigentes afirmaram que a Recouro tem preocupação com o meio ambiente, pois recolhe todo o lixo dos curtumes, com mercúrio e a amônia, que afetam o lençol freático, protegendo o meio ambiente.

To Top
%d blogueiros gostam disto: