Política

PDT adia encontro com Wagner e Beto Lélis, de Irecê, pode virar secretário

O encontro entre a Comissão Provisória do PDT e o governo do Estado, previsto para acontecer no inicio desta semana, foi adiado em razão de compromissos da Executiva Nacional do partido, hoje vai se deslocar para as cidades de São Borja e Porto Alegre (RS), onde participa das homenagens pelos 55 anos da morte do ex-presidente Getúlio Vargas.

Como o encontro com o governo estava previsto para acontecer somente após uma conversa entre as executivas estadual e federal pedetistas, é provável que ele só aconteça agora no final desta semana.

Segundo Alexandre Brust, novo presidente da Executiva estadual, que viaja para Brasília na próxima quarta-feira (26) para se encontrar com o presidente de honra do PDT, ministro Carlos Lupi, o objetivo principal é acertar os últimos detalhes da entrada do partido na base de sustentação do governo Jaques Wagner (PT). Na bagagem, o pedetista leva vários nomes que deverão compor a nova Executiva Estadual do PDT, que será definida em comum acordo com o comando nacional.

Alexandre Brust não quis adiantar os nomes que serão submetidos à Executiva Nacional para escolha dos onze que deverão compor a nova Executiva Estadual. Contudo, ele informou que todos os parlamentares (deputados federais, estaduais e vereadores) são membros natos da Executiva Estadual. Além dele próprio, que sempre fez parte da direção estadual, atualmente o partido conta com os deputados federais Severiano Alves, Marcos Medrado e Sergio Brito, embora este último não faça parte da atual composição; os deputados estaduais Euclides Fernandes e Roberto Carlos; e os vereadores Odiosvaldo Vigas e Gilberto José.

Beto Lélis pode virar secretário

À tiracolo, o novo comandante estadual pedetista leva também os nomes que serão apresentados à direção nacional para serem avaliados para comandar a Secretaria de Ciência e Tecnologia, e as direções da Agerba, Ibametro, CBPM, Promobahia, além de duas direções da Ebal. Sem querer adiantar qualquer nome, Brust alegou que quem vai definir é a direção nacional. “Estou indo conversar com o Lupi (ministro Carlos Lupi) e levando os nomes para serem avaliados, mas nós não podemos adiantar nada. Até porque são eles que vão definir”, comentou Brust.

Contudo, mesmo sem qualquer definição oficial, um nome forte para ocupar a Secretaria da Ciência e Tecnologia e que está na lista que Brust apresentará ao ministro Carlos Lupi é o do ex-prefeito de Irecê, Beto Lélis. Certo, até agora, apenas o nome de Brust, que vai para a direção da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM). “Os nomes que foram ventilados anteriormente, devem ser alterados, mas não podemos adiantar nada”, concluiu o pedetista.

Agerba pode ficar com Roberto Carlos

Todos os cargos de diretoria da Agerba (Agência de Regulação da Bahia) serão preenchidos pelo PDT. Os nomes dos seus ocupantes serão anunciados tão logo o governo Wagner feche o acordo com o partido, o que está sendo tratado diretamente com a direção nacional.

Com isso, cai por terra a ideia inicial da cúpula do governo, de colocar à frente da agência um técnico do setor de regulação. O PDT na Bahia está rachado, com Severiano Alves optando por Geddel Vieira Lima e os demais deputados definidos pela aliança com Jaques Wagner. Na Assembleia Legislativa, a bancada pedetista já compõe a base do governo. Severiano já foi afastado da presidência do partido por determinação do ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Comenta-se nos bastidores da Assembleia que o deputado Roberto Carlos está de olho na Agerba. Ele tomou gosto pelas atividades da agência depois que participou dos debates sobre a Lei do Transporte Complementar de Passageiros, sancionada em fevereiro por Wagner.

Depois disso, esteve presente em algumas audiências públicas do transporte complementar realizadas pela Agerba em cidades do interior. Não se sabe se Roberto Carlos já tem nomes para indicar para a autarquia.

Por Evandro Matos

To Top
%d blogueiros gostam disto: