Economia

Fruticultores de B. Jesus da Lapa ganham ferramenta de gerenciamento

Sistema de Gerenciamento de Fruticultura é resultado de um convênio entre Sebrae/BA e o Instituto Recôncavo de Tecnologia

Os produtores de Bom Jesus da Lapa, na região oeste da Bahia, vão contar com um novo instrumento de gerenciamento da produção. Trata-se do Sistema de Gerenciamento de Fruticultura (SRIF), resultado de um convênio entre Sebrae/BA e o Instituto Recôncavo de Tecnologia (IRT). 

O projeto consiste no desenvolvimento de um sistema de informação voltado à gestão do processo produtivo de fruticultura; monitoramento dos processos de trato cultural, com informações sobre os aspectos técnico, climático, ambiental, pragas, de mercado e normativo; e emissão de ordens de serviço e relatórios gerenciais.

Além disso, o sistema vai permitir o compartilhamento de informações em nível regional, nacional e global entre produtores, técnicos, compradores, auditores, governo e pesquisadores.

De acordo com Euder de Almeida Ribeiro, consultor do Sebrae/BA, “o SRIF é um sistema que permitirá aos produtores de Bom Jesus da Lapa estruturar suas informações nos aspectos de gestão e de boas práticas agrícolas, alinhando-se com as demandas crescentes por sistemas de produções sustentáveis, expressas pelas exigências nacionais da produção integrada e internacionais dos protocolos para certificações”.

O produto a ser gerado inclui um sistema para gerenciar informações sobre o trato cultural e gestão da produção em cada propriedade, bem como a divulgação de informações através de um portal na internet para toda cadeia econômica da fruticultura.

O sistema é composto de software, computação fixa e móvel e uso da internet por todos os participantes da cadeia econômica. O projeto prevê ainda a implantação do produto e das intervenções no processo gerencial em três empresas da região de Bom Jesus da Lapa e capacitação de trabalhadores e gerentes no processo modificado e no uso dos softwares produzidos.

O projeto deverá ser concluído em 14 meses e espera-se, de acordo com o consultor, aumentar a competitividade do setor com a fixação do capital social e redução de desigualdades. Os produtores poderão reduzir ainda gastos com fertilizantes, combate a pragas e recuperação de danos ao meio ambiente e da saúde do trabalhador.

Agência Sebrae

To Top
%d blogueiros gostam disto: