Meio Ambiente

Especial – Duplicação da Ponte Juazeiro – Petrolina se arrasta desde 2002

Em Juazeiro-Ba, as obras de reforma da ponte Presidente Dutra ainda não foram iniciadas, apesar da conclusão no outro lado do rio, em Petrolina-PE.

Embora as obras na margem esquerda do São Francisco tenham demorado, foram concluídas há mais de um ano, facilitando um fluxo diário de aproximadamente 35 mil veículos. A Ponte, que liga as cidades de Juazeiro e Petrolina e a região Nordeste ao Centro-Sul do país, foi construída na década de 1950, e desde então não passou por nenhuma grande modificação.

Orçado em R$ 25 milhões, o projeto para duplicação da ponte Presidente Dutra é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infra-estrutura e Transportes (DNIT). Na análise do superintendente Marcos César Crispim, “já se consumiu mais de 42% dos recursos, ou seja, um total de mais de R$ 11 milhões”.

Segundo o engenheiro civil e Secretário de Infra-estrutura de Juazeiro, Flávio Luiz Ribeiro Silva, as obras na parte da cidade baiana ainda dependem da assinatura de uma empresa paraense, vencedora da licitação, locada por R$ 2 milhões, para um contrato de 12 meses.

 “O projeto de duplicação da ponte em Juazeiro seguirá o mesmo modelo realizado em Petrolina. Ele está muito bom! O papel da prefeitura de Juazeiro agora é pedir aceleração nas obras ao governo federal, através do DINIT. A ponte poderia estar totalmente pronta se o prefeito anterior tivesse cobrado agilidade”, critica Flávio Luiz.

A lentidão nas Obras…

 

A recuperação, restauração e duplicação da ponte começaram em janeiro de 2002, e pararam dois meses depois por falta de recursos.

Retomadas apenas em julho, continuou até janeiro de 2003, quando ocorreu mais uma paralisação. Reiniciadas no mesmo mês, voltou a ser interrompida em novembro de 2003, e só recomeçou em julho de 2004.

Em abril de 2005, depois de o presidente Lula anunciar a liberação de R$ 6,4 milhões, de um total de R$ 31 milhões do orçamento final, quase um ano depois, parou novamente, sendo retomada em setembro do mesmo ano.

A duplicação em Petrolina…

Com a duplicação na parte pernambucana, pedestres e ciclistas contemplados com dois metros em cada lateral, antes congestionado e complicado para trafegar, agradecem a tranqüilidade no ir e vir para o outro lado do rio: “O fluxo descongestionou bastante, ganhou espaço à vontade”, assegura Maria Clara, 22, ciclista juazeirense que atravessa diariamente a ponte para trabalhar em Petrolina.

Para o Policial Rodoviário Federal, da BR 407, Vinicius Benevides, copiar o projeto de Petrolina para Juazeiro exige reflexão, pois há uma banca embaixo do arco da ponte, em Juazeiro, que complica e difere da área duplicada em Petrolina. “A banca pode ser removida, facilitando o tráfego. Contudo, a parte duplicada em Petrolina já aponta mudanças positivas em todo o fluxo rodoviário da BR-407”, avalia Benevides.

Em 2005, o Diretor do DNIT em Brasília, Mauro Barbosa da Silva, anunciava na ocasião que as obras de duplicação da Ponte Presidente Dutra seriam concluídas até o final de 2007. Para tanto, o Governo Federal já liberou mais de R$ 6,4 milhões. Contudo, chegou 2009 e Juazeiro ainda aguarda a duplicação de seu monumento histórico, que é um cartão postal das cidades irmãs.

Laura Oliveira – Correspondente em Juazeiro e região

To Top
%d blogueiros gostam disto: