Política

Reparação a Manoel Leal

Estado da Bahia inicia reparação a Manoel Leal, jornalista assassinado em Itabuna, proprietário do jornal A Região.

O presidente da Rede Morena de Comunicação, Marcel Leal, recebeu nesta segunda-feira, em Salvador, uma placa, entregue pelo secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Nelson Pellegrino, que inicia a reparação pela omissão do estado na investigação do assassinato do jornalista Manoel Leal de Oliveira.

A homenagem foi feita por recomendação da Corte de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos. A OEA apontou falhas na apuração do assassinato de Manoel Leal, que era proprietário do jornal A Região.

Para a entidade, os governadores da Bahia durante a apuração do crime, César Borges e Paulo Souto, não cumpriram na totalidade a investigação do caso. O ato de reparação à morte ocorreu na manhã desta segunda-feira, no Hotel Pestana, em Salvador.

Leal foi assassinado no dia 14 de janeiro de 1998, no bairro Jardim Primavera, em Itabuna. Até hoje os mandantes nunca foram presos nem sequer investigados. Manoel Leal foi décimo profissional de imprensa a ser morto durante os governos carlistas, entre 1990 e 1998.

Até hoje, o único condenado pelo assassinato foi o policial civil Mozart Brasil, que ficou preso na Corregedoria e não na Penintenciária Lemos Brito. Entre os suspeitos de ter encomendado o crime estão o ex-prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, e o delegado Gilson Prata.

Jornal A Região

To Top
%d blogueiros gostam disto: