Economia

Exportações baianas começam a reagir

Houve um aumento de 39,8% nas vendas para os Estados Unidos com relação ao mês de julho, informa a PromoBahia.

Mesmo com redução em relação ao ano passado, as exportações baianas começam a reagir, principalmente em setores que ainda não tinham registrado crescimento esse ano como petroquímicos, derivados de petróleo, minerais, café e frutas.

O início da recuperação econômica de alguns dos principais parceiros comerciais da Bahia ajudou na reação da balança comercial do estado que, em agosto, registrou o segundo maior superávit do ano – US$ 236 milhões – com destaque para o aumento de 39,8% nas vendas para os Estados Unidos em relação ao mês de julho.

Além dos EUA, as vendas para América Latina, maior mercado para os produtos manufaturados baianos, também cresceram 86% em relação a julho. Esses dados foram divulgados hoje (10) pelo  PromoBahia – Centro Internacional de Negócios.

De acordo com dados do PromoBahia, os produtos mais vendidos para os EUA, em agosto, foram petroquímicos, pneus, celulose, óleo combustível, catodo de cobre, manteiga de cacau e mangas.

O coordenador de inteligência comercial do PromoBahia, Arthur Souza Cruz, explica que, como a demanda internacional ainda não se recuperou totalmente da redução acumulada desde o auge da crise, a retomada da balança comercial baiana ainda é lenta. As exportações baianas ainda registram queda de 29,7% frente ao mesmo período do ano passado, atingindo US$ 4,3 bilhões. Em agosto, elas somaram US$ 699 milhões, o que representou uma redução de 6,1%  frente a  julho.

No entanto, Souza Cruz reforça que, embora a retração persista em locais como União Européia e que as vendas para a China estejam num ritmo menor em relação aos meses anteriores, as vendas baianas de agosto ficaram num bom nível, com reação em setores que ainda não tinham registrado crescimento esse ano como petroquímicos (10,8%); derivados de petróleo (7%); minerais (91%); café (46%) e frutas (25%).

Dados do PromoBahia revelam que, no acumulado do ano, as exportações baianas continuam sendo lideradas pelo setor de papel e celulose, com vendas de US$ 821,3 milhões (-13,3%), seguido pelo setor petroquímico, com US$ 798,6 milhões (-19,8%) e pela soja e derivados com US$ 661,6 milhões e crescimento de 39,6%.

Ainda segundo o PromoBahia, o câmbio valorizado e a recuperação da economia brasileira levaram ao crescimento das importações baianas em agosto, mês com maior volume até agora em 2009: US$ 463 milhões e crescimento de 15,3% sobre julho. Cresceram as compras de nafta (68%); automóveis (76%); cacau (187%) e petróleo (100%) entre os mais importantes. No acumulado do ano, no entanto, as importações estão 37,7% inferiores a igual período de 2008, alcançando US$ 2,7 bilhões.

Fonte: PromoBahia

To Top
%d blogueiros gostam disto: