Esporte

MPF/BA denuncia jogador de futebol por falsidade ideológica

Edson Di, nascido em Capim Grosso, interior da Bahia, utilizou cédula de identidade falsa durante emissão de passaporte.

O Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) apresentou denúncia à Justiça Federal contra o jogador de futebol Edson Andrade Almeida, conhecido como Edson Di, por crime de falsificação documental. O atleta alterou deliberadamente a data de nascimento em passaporte e falsificou cédula de identidade para obter vantagens em testes para atuar em times de futebol do exterior. 

Edson Almeida, nascido em novembro de 1979, solicitou emissão de passaporte junto à Superintendência da Polícia Federal em Salvador. No entanto, ao preencher o formulário de requerimento, intencionalmente declarou ter nascido no ano de 1981, e utilizou uma cédula de identidade falsa, que confirmava a data de nascimento do jogador como 14 de novembro de 1981, para concretizar o crime. 

Em posse dos documentos falsos, o atleta viajou até a Itália para testes nos clubes do Milan e da Udinese no ano de 1999. Edson utilizou o passaporte falso mais uma vez, ao viajar para Santiago do Chile no ano de 2001. Na época, Edson Almeida jogou em times como o Juventus de São Paulo e o Corinthians. 

No site da CBF, ainda consta a informação falsa do ano de nascimento do jogador, como se fosse o de 1981. Em razão disto, a Polícia Federal deverá empreender novas investigações, para verificar se houve continuidade na fraude, já que, nos anos de 2007 e 2008, Edson Andrade Almeida atuou no futebol português (FC Paços de Ferreira) e, em 2009, no Mixto (MT) e no Treze de Campina Grande (PB). 

O Procurador da República André Luiz Batista Neves, autor da denúncia, pede à Justiça Federal que condene o denunciado pelo delito de uso de documento falso, previsto no artigo 304 do Código Penal. A pena para o crime é de um a cinco anos de prisão e multa.

To Top
%d blogueiros gostam disto: