Economia

Convênio incentiva plantio consorciado para produtores de Ipiaú

Programa é uma alternativa de emprego e renda para os pequenos produtores que sobrevivem da lavoura, em crise, do cacau.

O município de Ipiaú, no sul da Bahia, é conhecido pela potencialidade na produção de cacau, atingida pela crise da vassoura-de-bruxa, principal praga da lavoura cacaueira. Para propor alternativa de emprego e renda para os pequenos produtores que sobrevivem dessa atividade, que soma mais de 95% da população local, o Governo do Estado tem buscado incentivar a produção agrícola associada à política florestal.

Prova disso é o convênio firmado entre a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) e a prefeitura de Ipiaú para implantar o Pólo Florestal Sustentável, programa que utiliza áreas já desmatadas para produção de florestas planejadas em mosaicos com a vegetação nativa. A proposta é contribuir para a conservação da biodiversidade e aumentar a produção florestal (estacas, madeira serrada) e biomassa (lenha e carvão).

O pequeno produtor Antonio de Jesus Nascimento, 64 anos, será um dos beneficiados com o programa da Sema. Ele produz cacau, tomate, pimentão e maracujá na Fazenda do Povo e vende os hortifrutis na feira de Ipiaú há 20 anos. “Quando eu comecei, era só eu e minha mulher, hoje temos quatro filhos e ainda sete netos para criar. Só com o tomate, pimentão e maracujá não vai dar”, justificou.

Emprego e renda

De acordo com o secretário do Meio Ambiente, Juliano Matos, a iniciativa garante trabalho e renda às comunidades locais e conserva a Mata Atlântica que existe na região. “Os produtos florestais constituem hoje uma economia viável, além de ter um retorno rápido e seguro, quando consorciado com o cultivo de lavouras e frutas”, salientou.

Ipiaú é o oitavo município a ser beneficiado com o Programa Pólo Florestal Sustentável, que já atende a população das regiões de Jequié, Vitória da Conquista, Caetité, Itapetinga, Licínio de Almeida, Santo Antonio de Jesus e Iaçu. O programa prevê o reflorestamento em áreas degradas com espécies nativas e de rápido crescimento para ampliar a oferta de madeira plantada para os consumidores de produtos florestais.

Para o prefeito de Ipiaú, Deraldino Alves, o município dá um passo importante não só para as famílias que vivem da produção agrícola, mas para a economia local. “O convênio com o Governo do Estado ainda poderá criar oportunidade para atração de novos investimentos, a exemplo de empreendimentos moveleiros, beneficiamento de alimento, setor de madeiras sólidas (serrados, lâminas e compensados)”, comemorou o prefeito.

Agecom

To Top
%d blogueiros gostam disto: