Economia

Ministério da Integração faz estudo ambiental no Oeste Baiano

Estudo revela que, apesar de esta ser uma região com grande produção agrícola, boa parte da área estudada ainda preserva a vegetação nativa.

O Ministério da Integração Nacional está procedendo um mapeamento do uso do solo no Oeste da Bahia, bem como o cadastramento das propriedades rurais da região com o intuito de definir, a partir do diagnóstico obtido, projetos de sustentabilidade ambiental naquela área que é maior produtora de soja, milho e algodão do estado.

Um dos aspectos positivos revelados pelo mapeamento é que, apesar da região ser um dos principais celeiros agrícolas do país, a vegetação nativa se mantém preservada em cerca de 68 por cento da área estudada – o que significa que, dos 6,4 milhões de hectares do bioma mapeado, 4,3 milhões de hectares de mata nativa estão inteiramente preservados.

O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, observou que “o estudo desmente a falácia de que a produção agrícola na região não é sustentável e é nociva ao meio ambiente do cerrado baiano”. O ministro informou que esse trabalho faz parte do Projeto de Revitalização do São Francisco e é voltado para disciplinar o processo de ocupação humana sobretudo na área de influência dos rios Grande, Corrente e Carinhanha, afluentes do São Francisco. O mapeamento abrange os municípios de Barreiras, Luis Eduardo Magalhães, Riachão das Neves, São Desidério, Correntina, Jaborandi e Cocos.

Ascom/PMDB Bahia

To Top
%d blogueiros gostam disto: