Política

Marina Silva critica postura de Lula em relação ao apagão

Segundo ela, o governo não assumiu suas responsabilidades nem se colocou à frente do problema.

 A senadora Marina Silva (PV-AC), pré-candidata do PV às eleições presidenciais de 2010, criticou hoje a postura do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em relação ao apagão ocorrido na noite de terça-feira (10). Segundo ela, o governo não assumiu suas responsabilidades nem se colocou à frente do problema. “Fica mais fácil terceirizar uma vitória do que uma derrota”, afirmou, depois de participar de convenção de sua legenda na Assembléia Legislativa de São Paulo.

Segundo ela, o blecaute causou desgaste político não apenas ao governo, mas desgaste econômico, social e moral aos brasileiros. “Foi uma situação inaceitável para os brasileiros que se viram diante dela”, disse. Para a senadora, ainda é preciso diagnosticar as causas do problema para poder evitar novas falhas no futuro. “Se o próprio presidente Lula disse que a investigação está na fase do ‘achismo’, quem sou eu para dizer o contrário”, alfinetou.

Marina frisou que o governo precisa diversificar a matriz energética do País para reduzir a dependência das usinas hidrelétricas, que dependem de longas linhas de transmissão, suscetíveis a incêndios, raios e tempestades. Em sua opinião, o investimento em energia baseada em recursos hídricos é mais barato, mas o custo no longo prazo sai mais caro. “Defendo o princípio de precaução para evitar os erros”, emendou.

E as críticas de Marina não foram dirigidas apenas à postura que o governo Lula adotou frente ao apagão da última terça-feira. Em relação às metas de emissão de gases causadores do efeito estufa, anunciadas ontem pela ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que também é pré-candidata à sucessão do presidente Lula nas eleições do ano que vem, a senadora disse que é fundamental o Brasil assumir as metas como um compromisso e não apenas como uma meta voluntária. “Sinto que há uma falta de compreensão quando o governo fala em meta voluntária. Quanto se apresenta esta meta no âmbito da convenção, ela se torna um compromisso vinculante”, disse.

Leia mais no Estadão.

To Top
%d blogueiros gostam disto: