Saúde

Brasil – Grávida é resgatada de helicóptero durante enchente e dá à luz

Patrícia estava a caminho da maternidade quando começaram as contrações; às 12h15, após resgate, nasceu Tayla Vitória.

Em meio ao caos causado pela chuva, um helicóptero pousando na Rua Vergueiro, fechada por quatro carros de polícia, seria mais um sinal dos transtornos vividos na terça-feira, 8, por São Paulo. Eram pouco mais de 10 horas quando o Esquilo AS50 do Deic desceu diante da Estação Paraíso do Metrô, levando a bordo Patrícia Aparecida de Oliveira, de 25 anos, grávida, em trabalho de parto, resgatada depois de ficar ilhada na Avenida Zaki Narchi, do outro lado da cidade. Era o início da história mais iluminada do dia.

Patrícia estava a caminho da maternidade – o parto estava marcado para às 13 horas -, mas ela saiu de casa antes, assim que começaram as primeiras contrações. Mãe de dois filhos – Vitor, de 5 anos, e Tainá, de 10, ambos nascidos de cesariana -, ela sabia que não poderia entrar em trabalho de parto. “O médico avisou que eu poderia sofrer hemorragia e morrer, caso isso acontecesse”, contou.

Ela e o namorado, o segurança Gleidson Daniel da Silva, de 27 anos, ficaram presos no congestionamento. Ele saltou do carro, desesperado, pedindo para os motoristas abrirem passagem. “Dois motociclistas tentaram ajudar, para que voltássemos pela contramão. Na frente, era só aguaceiro”, disse Patrícia.

Gleidson pediu ajuda à polícia. Em minutos, veio um helicóptero de policiais que costumam sobrevoar a cidade em dias complicados. “Voamos à procura de ambulâncias. Quando tem uma parada, damos um jeito de levar o paciente”, explicou o delegado Roberto Bayerlein, comandante da aeronave. Em quatro minutos, percorreu os 9 quilômetros que a separavam da confusão da Zaki Narchi à Estação Paraíso.

Patrícia desceu do helicóptero pálida e assustada, caminhou duas quadras, amparada pelo namorado, até o Hospital e Maternidade Santa Joana. A mãe de Gleidson, Marilda Donizetti da Silva, de 56 anos, e a irmã, Sheila Cassiana, de 30, deixaram o Chevrolet Celta do casal na rua e foram de metrô.

Às 12h15, após uma cesárea, veio à luz Tayla Vitória, com 3,130 quilos e 48 centímetros. Forte e rosada, a menina, que nasceu cheia de atenções, ganhou nas primeiras horas de vida seu primeiro brinquedo, um urso de pelúcia, dado pela equipe do helicóptero do Deic. “Se ela não tivesse vindo de helicóptero, mãe e filha não sobreviveriam”, explicou o obstetra Alberto d”Auria. “Minha filha teve muita sorte”, disse Gleidson. “Eu nunca tinha andado de helicóptero e ela andou mesmo antes de nascer.”

Fonte: O Estado de S. Paulo

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: