Polícia

Homem sequestrado em Santaluz é encontrado morto

Clima de pânico e terror no município de Santaluz, na região sisaleira da Bahia. Mais um homem é assassinado misteriosamente. Desta feita foi Aparecido Quintino de Andrade, 54 anos, que havia sido sequestrado na noite de quinta-feira (17). Ele foi encontrado morto no final da tarde desta sexta (18).

O mês de dezembro em Santaluz vem sendo marcado por medo e pânico, depois do assalto ao Banco do Brasil no dia 4, numa manhã de sexta-feira, quando 16 homens encapuzados implantaram terror, fizeram policiais reféns, levaram dinheiro, segundo informações extra-oficiais, R$ 617 mil, além de incendiar dois carros de passeio e um ônibus.

No dia 11, novamente uma sexta-feira, o cenário envolveu carro incendiado próximo ao povoado de Tamburi, município de Araci, na estrada vicinal que liga os povoados de Várzea da Pedra a Tapuio. No interior do veículo Cros Fox havia uma pessoa, que a princípio a policia acredita tratar de Euclides Almeida Santos, 52 anos, conhecido por Kidão.

Ele tinha sido sequestrado por volta de 01h30 da sexta-feira (11) quando estava em sua casa próximo ao estádio municipal e pouco mais de uma hora depois foi encontrado dentro do veículo carbonizado. O corpo ainda está no IML de Feira de Santana para exames de DNA e a confirmação da identidade.

Dois dias depois, no domingo dia 13, a Polícia Militar, depois de realizar um trabalho de investigação pela “agência diária” do 16º Batalhão da PM, sediada em Serrinha, localizou no povoado de Ambrósio, município de Cansanção, três suspeitos de terem participado no assalto ao Banco do Brasil de Santaluz no dia 04.

A operação terminou com a morte de Laudemi de Jesus, (Laudo), que foi sepultado no distrito de Barreiras – Araci, um homem conhecido por Gilsão, que foi sepultado em Tucano e Edson Soares Barreto, que depois a policia ficou sabendo que o verdadeiro nome era Manoel Rosa de Jesus.

Eles estavam bebendo na inauguração do Bar de Laudo e quando avistaram as viaturas, começaram a atirar, sendo revidado pelos policiais, que reagiram, resultando na morte dos três suspeitos.

Gordo

Na noite de quinta-feira, 17, um veículo Corsa Sedan, de cor escura, foi visto rodando a cidade e por volta das 22h perseguiu um homem conhecido por Gordo, que na manhã da sexta-feira (18), procurou a policia e contou o ocorrido. Gordo era amigo de Euclides Almeida, o Kidão, 52 anos, e acusado de ter envolvimento com o bando. A policia acredita que tenha ocorrido um desentendimento com os outros integrantes na divisão do dinheiro e não é descartada a hipótese que ele teria sido morto pelos comparsas.

Tendo frustrado o sequestro de Gordo, a policia trabalha com a hipótese, que os mesmos homens tenham sequestrado Aparecido Quintino de Andrade, 54 anos, que estava na companhia da esposa em sua residência no bairro Jardim Luzense por volta das 23h.

De acordo com uma mulher, amiga da família que pediu para não ter seu nome revelado, os seqüestradores desligaram o contador da casa, Aparecido e sua esposa saíram para verificar o que havia acontecido e foram abordados colocando ele dentro do carro e deixando a esposa em casa.

A notícia correu no inicio da manhã e a residência de Aparecido ficou tomada sob olhares assustados de curiosos e vizinhos. Um dos irmãos dizia não entender como fizeram isso, “ele é uma pessoa boa, tem sua pequena empresa, sua aposentadoria e nunca se envolveu com delegacia”.

 Corpo encontrado

Por volta das 17h30, desta sexta, o corpo de Aparecido foi encontrado atrás da balança, as margens da BA-120 à 3 km da cidade. Ele estava sem camisa, descalço, trajava short e o rosto totalmente desfigurado em consequência de um tiro que acertou a cabeça.

Segundo a Polícia no dia do assalto, ele estava nas imediações da fazenda do Gilsão, próximo ao Rio Itapicuru e prestou informações erradas solicitadas por uma das guarnições que estava na perseguição. Também já sabe que no domingo (14), esteve bebendo no Bar de Laudo e teria encontrado as viaturas na estrada de acesso ao povoado de Ambrósio.

Aparecido é irmão de José Soares Barreto, conhecido por Sapo que está preso em São Paulo por homicídio e assalto a banco. Ele também tem um filho, cuja identidade não foi fornecida ao CN e está preso, também em São Paulo, por tráfico de drogas.

Com referência a vida de Aparecido, a polícia informou que ele não tinha antecedente e trabalha na investigação de possível ligação aos outros assassinatos, descartando latrocínio, pois nada foi levado, e seqüestro, pois em nenhum momento foi solicitado resgate.

A delegacia também irá desenvolver investigações na linha de crime isolado, pois tudo gira em trono de boatos a possibilidade de esta ligada ao bando que assaltou o banco no dia 04.

Aparecido deixou dez filhos, todos residentes na capital paulista os quais, depois que ficaram sabendo do sequestro e morte do pai, a maioria deixou São Paulo com destino a Santaluz, para participarem do sepultamento no último sábado (19). 

 

Cival Anjos (foto: Raimundo Mascarenhas)

To Top
%d blogueiros gostam disto: