Política

Pedralismo continua vivo em Vitória da Conquista

O relógio marcava 23h56min da noite da última sexta-feira, e a Câmara de Vereadores ainda estava cheia de pessoas em uma audiência pública, requerida pelo vereador Arlindo Rebouças (PMN), que objetivava prestar homenagens ao ex-prefeito José Fernandes Pedral Sampaio que ocupou o mandato executivo municipal durante três ocasiões, e que há mais de cinqüenta anos tem participado ativamente da vida política do município.

Pedral é o único político de Vitória da Conquista que tem um movimento de massas próprio, o pedralismo, composto por indivíduos que adotaram um modo de fazer política semelhante ao do líder político, e também por aquelas pessoas que mesmo não tendo vida política ativa, são defensores do estilo de Pedral de governar.

O fenômeno do pedralismo é fruto do grande legado político, econômico e social que o político deixou para o município de Vitória da Conquista entre os anos de 1958 e 1997. Mesmo afastado do poder central, Pedral continua a influenciar pessoas, e ainda é uma das principais referências políticas de Vitória da Conquista. O político foi prefeito de Conquista por três mandatos.

A grande concentração de público durante a homenagem a Pedral Sampaio citada é uma demonstração de que o pedralismo continua vivo em Vitória da Conquista. Pessoas de todas as idades, intelectuais, familiares, empresários e políticos compareceram no evento. 

Na ocasião, o radialista Herzem Gusmão (presidente do PMDB de Vitória da Conquista) disse que Pedral Sampaio aglutina a oposição em Vitória da Conquista. “As principais lideranças políticas da oposição estão aqui, e circulam atraídas pela figura de Pedral Sampaio”, asseverou Gusmão. Ele lembrou também que a mesa de homenagens estava composta por ex-adversários políticos de José Pedral, como Elbson Soares, Sebastião Castro, Raul Ferraz e Dr. Rui Medeiros.

Perseguição e discurso

O vereador Vivi Mendes disse que foi testemunha da perseguição que Pedral sofreu durante a ditadura militar. “Naquela época, mesmo pertencendo a uma outra área política, fui contra a injustiça que Pedral sofreu”, disse.   

O discurso de Pedral Sampaio emocionou aos presentes, ao relembrar o período da ditadura militar. “Com 13 meses de governo, fui preso pelo golpe militar”, contou. Em relação à homenagem prestada pela Casa do Legislativo, o cacique político afirmou que é um reconhecimento pelo seu trabalho prestado à cidade.

“Essa homenagem me emocionou bastante porque foi aprovada por todos os vereadores, tanto a bancada da oposição quanto da situação. O vereador Arlindo Rebouças, por exemplo, foi meu adversário por muitos anos”, comentou o ex-prefeito.

Na oportunidade, o homenageado fez comentários acerca do quadro político atual, e afirmou que “Herzem Gusmão já se firmou politicamente, e é um forte candidato para as próximas eleições”.

Por Ramon Gusmão – Correspondente em Conquista e Região

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: