Polícia

Menino com agulhas no corpo pode deixar a UTI

Garoto conseguiu andar e seu quadro de saúde é bom; na semana que vem ele passa pela 3ª cirurgia.

É considerado bom o quadro clínico do menino M.S.A., de 2 anos e 7 meses, que teve dezenas de agulhas introduzidas no corpo. Ontem ele caminhou pela primeira vez desde que chegou ao Hospital Ana Neri, em Salvador, há pouco mais de uma semana. Graças à evolução do caso, os médicos acreditam que M.S.A. poderá deixar a UTI pediátrica ainda hoje.

Os primeiros passos foram dados com o auxílio de fisioterapeutas e sob os olhos atentos da mãe, Maria Souza Santos. De acordo com o diretor da unidade médica, Roque Aras, a transferência para o quarto será confirmada só após avaliação de toda a equipe que acompanha o garoto.

Em uma semana, M.S.A. passou por duas cirurgias para retirar 18 agulhas do pulmão, coração, fígado, intestino e bexiga.

Um terceiro procedimento cirúrgico – e provavelmente o último, de acordo com o médico – deverá acontecer na próxima semana, quando serão retirados objetos metálicos localizados no canal medular e na região do pescoço, que ainda impõem riscos à vida do menino.

Aras disse que a criança se alimenta normalmente, mas ainda usa sonda vesical, que deverá ser retirada dentro de dois dias. “Mas, os exames demonstram que já não existe sinal de infecção e ele está muito bem”, observou o médico, acrescentando que “existe uma agulha no canal medular e outras paralelas à coluna e no pescoço, não sabemos exatamente quantas. A equipe vai se reunir para ver como será feito o procedimento”, explicou.

Em Ibotirama, cidade localizada às margens do Rio São Francisco, no interior baiano, o três acusados da tentativa de homicídio contra o menino seguem presos. Dois deles, o ex-padrasto, Roberto Carlos Magalhães, que confessou ter introduzido as agulhas no corpo do menino, e sua suposta amante, Angelina dos Santos, tiveram a prisão preventiva decretada. A amiga de Angelina, Maria dos Anjos Nascimento, apontada por Magalhães como cúmplice, pode ser liberada por falta de provas.

Informações do Estadão

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: