História

Riachão do Jacuípe – Há 5 anos cidade perdia o Ex-Prefeito Valfredo Matos

Dia 5 de janeiro de 2005 o município de Riachão do Jacuipe, na região sisaleira, perdia o ex-prefeito Valfredo Matos. Ele havia falecido no Hospital Santa Isabel, em Salvador. Hoje tem missa na Matriz da cidade com a presença de familiares, amigos e parentes.

A noticia do falecimento do ex-prefeito Valfredo Matos, que administrara o município até o dia 31 de dezembro daquele ano, abalou Riachão do Jacuipe e região. Valfredão, como também era conhecido, se recuperava de problemas de saúde no Hospital Santa Isabel, bairro de Nazaré, em Salvador, alternando internamentos e voltas para a sua residência durante quase três meses.

A notícia pegou todos de surpresa. É verdade que o estado de saúde de Valfredo inspirava cuidados, mas ninguém imaginava o pior. A chegada do corpo parou a cidade. Uma imensa fila de carros esperava no Posto Carreteiro e percorreu algumas ruas até chegar à sua residência.

Depois, o corpo foi levado para o Ginásio de Esportes, onde foi velado a noite inteira. Do entardecer até às 11 horas da manhã do dia seguinte, uma verdadeira multidão enfrentou uma imensa fila para se despedir de Valfredo.

Uma noite foi o suficiente para que se confirmasse o quanto o ex-prefeito Valfredo Matos era querido pelo povo. Jovens, idosos, comerciantes, donas de casa, políticos, parentes e amigos não paravam de chegar. Além do Ginásio completamente tomado, do lado de fora se formava uma longa fila para ver Valfredão pela última vez.

A emoção tomou conta de todos, impressionando as várias formas de manifestação e emoção. Uns choravam, outros gritavam, outros discursavam. Alguns, diante do resultado da última eleição no município, se culpavam e pediam perdão. Houve casos de ameaça de cortar o próprio pulso por condenação à própria atitude tomada três meses antes. Só Deus, lá em cima, poderia explicar a falta de sincronia entre aquele carinho com o fato em si. Ou Freud.   

De acordo com informações colhidas à época, entre 20 a 25 mil pessoas acompanharam o enterro, mesmo enfrentando um sol escaldante e uma temperatura bastante elevada. Por volta das 11 horas o caixão saiu do Ginásio de Esportes e seguiu pela Avenida Eliel Martins, que ficou completamente tomada, além das ruas adjacentes. Um silêncio sepulcral marcou os passos das pessoas até a chegada ao cemitério. Além de multidão que acompanhava o enterro, moradores e transeuntes tomaram as calçadas e as janelas para ver de perto.

Em todos as passagens, a caminho do cemitério, aplausos, palmas e gritos de Viva Valfredão! eram ouvidos. O serviço de alto falante tocava as suas músicas de campanha, as pessoas se abraçavam e quantos e quantos choravam sem parar. “Era meu pai”, dizia um. “Não vai nascer outro homem igual nesta terra”, dizia outro. “Ele era um homem de Deus. Por isso eu rezava por ele todos os dias”, disse uma senhora, aos prantos.

Empreendedor

Valfredo Matos, Valfredão, ou simplesmente Valfredo. Como alguém disse durante o velório: “vai o homem, mas fica a marca”. Valfredo foi um empreendedor desde cedo e um sonhador eterno. Menino nascido em Juazeirinho, em Conceição do Coité, desde cedo veio morar na Fazenda Alegria, a 2 km da sede de Riachão do Jacuipe.

Estudou no Osvaldo Cruz e no Colégio Nossa Senhora da Conceição. Formado, foi professor de Matemática dos colégios João Campos e Nossa Senhora da Conceição. Aprovado no concurso do Banco do Estado da Bahia (Baneb), rodou o mundo até voltar para Riachão.

Antes de ser eleito prefeito, em 1989, Valfredo liderou a construção do Clube de Campo Mandacaru, fundou a Rádio Jacuipe AM, promoveu campanhas para reforma da Igreja Matriz, fundou um jornal ao lado de José Raimundo, a Liga de Esportes de Riachão, promoveu inúmeros campeonatos e foi o grande idealizador da Copa do Interior. Como desportista também jogou no Palmeiras e na seleção de Riachão, além de outras equipes jacuipenses.

Prefeito de Riachão por dois mandatos, ele deixou obras que possibilitaram o município sair da difícil fase do pós-sisal. No primeiro mandato as suas principais obras foram a construção do Hospital Municipal, elevando-o à condição de melhor da região, à época; do Estádio Municipal, que serviu para atender às necessidades da Jacuipense e da seleção no Intermunicipal; e a construção de 42 prédios escolares, levando escola onde havia mais necessidade.

O segundo mandato foi marcado pela Construção do Palco Fixo na Praça Landulfo Alves, recuperação da estrada para Barreiros, Mini Hospital em Chapada, urbanização completa das avenidas Eliel Martins e J. J. Seabra, calçamento dos bairros Jatobá e Bela Vista, aquisição do colégio Nossa Senhora da Conceição para o município, Campo de Chapada, serviços de saneamento básico com esgotamento sanitário em vários bairros, entre outras.

O segundo mandato foi marcado também pela luta e conquista da primeira indústria de médio porte para Riachão do Jacuipe, a Fábrica Ruy Barbosa. Valfredo também foi o grande idealizador do São João de Riachão, recuperou sempre as estradas vicinais, deu apoio á cultura e ao esporte. Durante o seu governo, e com o seu dedo, a cidade viveu a melhor fase do esporte com o sucesso da Jacuipense no Campeonato Baiano.

Com forte carisma e considerado um grande orador, Valfredo ficou na suplência de deputado na eleição de 2004. Líder nato, ele deixou um grande legado. Sua esposa, Tânia Regina Alves de Matos é a sua herdeira política. Ele deixou ainda os filhos Érico e Valfredo Júnior.

To Top
%d blogueiros gostam disto: