Política

Lula e Serra ignoram bate-boca e falam de futebol e cerimônia em São Paulo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), trataram nesta sexta-feira (22) de amabilidades sobre seus times de futebol e ignoraram a troca de insultos entre dirigentes de seus partidos e integrantes do governo federal.

No mais recente episódio, na quinta-feira (21), Lula chamou o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), de “babaca”.

Discursando antes de Lula, Serra, provável candidato à Presidência, lamentou ter encontrado poucos palmeirenses como ele no laboratório de medicamentos Cristália, em Itapita (SP), que inaugurou novas instalações. “Eu, infelizmente, quando cheguei –infelizmente não, felizmente– havia um grupo de funcionários me aguardando. Fui lá cumprimentá-los, perguntei se tinha algum palmeirense e tinha muito pouco, infelizmente. Mas o deputado (estadual, Barros) Munhoz me garante que Itapira tem mais palmeirenses do que parece”, disse.

Serra ainda perguntou o time da platéia e, percebendo que não era o seu, disse: “Estamos mal. O governador não pode ser perfeito”. Lula, que torce para o Corinthians, não perdoou e disse que tinha ganho o dia por ver um palmeirense encontrar mais corintianos.

“Foi Deus que botou na cabeça do (ministro da Saúde José Gomes) Temporão a ideia de me convidar para vir aqui hoje, porque não tem nada mais importante para um corintiano do que ver um palmeirense perceber que tem tão pouco palmeirense aqui e tanto corintiano. Serra, já ganhei o dia por isso”, afirmou o presidente.

To Top
%d blogueiros gostam disto: