Polícia

Serrinha – Detentos fazem rebelião e matam refém no Conjunto Penal

Desde o final da manhã, detentos realizam a segunda rebelião em menos de 15 dias. Três são mantidos reféns e um foi assassinado.

Presidiários do Conjunto Penal de Serrinha, cidade localizada a 173 quilômetros de Salvador, iniciaram no final da manhã desta segunda-feira (08) mais uma rebelião, a segunda em menos de quinze dias. De acordo com a polícia, três detentos são mantidos como reféns e um foi assassinado.

Os rebelados ocupavam a área de seguro, espécie de micropavilhão em que ficam os presidiários considerados perigosos e os que são ameaçados de morte. O local, que tem capacidade para 30 custodiados, tinha 29 no momento em que o motim foi iniciado.

Segundo os policiais, 25 detentos conseguiram danificar o sistema de automação da porta que dá acesso à cela SE-04, onde ficam os custodiados ameaçados de morte. Alex Brito da Silva, Márcio Gledson Pinheiro Costa e Antonio Rodrigues de Souza foram feitos reféns. Joselito Alves da Silva, o “Carioca” foi morto pelos internos.

A direção do Conjunto Penal lacrou as portas que dão acesso à área de seguro e isolaram os amotinados. A Polícia Militar foi acionada e reforçou a segurança para evitar fugas.

De acordo com a polícia, os presos reivindicam o retorno para Salvador de acusados de integrar a quadrilha de Cláudio Campanha, criminoso que foi considerado um dos maiores traficantes do Nordeste brasileiro.

O secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Nelson Pellegrino, afirmou que o pedido dos presos não será atendido e que um inquérito será instaurado para apurar a morte de “Carioca”.

Duas rebeliões em menos de 15 dias

Esta é a segunda rebelião no Conjunto Penal de Serrinha em duas semanas. No dia 25 de janeiro, os detentos fizeram um carcereiro refém e permaneceram 16 horas amotinados.

Os detentos reivindicavam algumas regalias e a transferência de presos para Salvador. As negociações foram realizadas por meio do rádio de comunicação do agente penitenciário capturado.

A rebelião só foi encerrada com a chegada da Pastoral do município, na manhã do dia 26.

Com informações da Tribuna da Bahia

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: