Polícia

Pernambuco – Polícia divulga nome de acusado da morte do universitário

A Polícia Civil de Pernambuco divulgou, na tarde desta terça-feira (9), no Recife, o nome de um dos acusados de haver assassinado o universitário Alcides do Nascimento Lins, no último sábado, no bairro da Torre.

De acordo com o diretor geral de Operações da Polícia Judiciária, Osvaldo Moraes, os assassinos não confundiram Alcides com um dos alvos, já que tinham cor e altura diferentes. A vítima teria morrido por que, simplesmente, não disse onde estava o vizinho, conhecido como Saúba. A polícia acredita que em até 48 horas os suspeitos serão presos.

O suspeito foi identificado como João Guilherme Nunes Costa, 28 anos. Um menor de 16, que não teve o nome revelado, também teria participação no crime e seria, inclusive, autor dos disparos. Ambos são moradores da comunidade. João Guilherme Nunes estava em liberdade condicional. Ele foi condenado há 16 anos por homicídio, mas como progrediu de regime foi transferido da Penitenciária Barreto Campelo para a Agroindustrial São João.

Ainda segundo a polícia, nenhum deles foi preso. A informação nega o que a imprensa havia noticiado pela manhã.

O crime

Eram 23h30 de sexta-feira, quando dois jovens, um deles aparentando ter 17 anos, arrombaram a porta de madeira da casa humilde onde Alcides, a mãe e as irmãs viviam. O pai morreu em 2007, logo depois que o filho foi aprovado no curso de biomedicina. Os assassinos procuravam por dois vizinhos do estudante, identificados como Tiago e Wilton (Saúba). Os dois foram criados na mesma vila e estariam em casa quando os assassinos apareceram.

Os assassinos agarraram o jovem, certos de que era um dos que procuravam. “Ele afirmou várias vezes que não era Tiago ou Saúba, que os dois viviam na casa ao lado, mas os caras não acreditaram. Minha mãe ficou desesperada, gritando que ele era um estudante universitário, que não era um marginal”, disse Andrezza, 18, irmã da vítima.

Os desconhecidos chegaram a sair da casa de Alcides e pararam em frente à residência vizinha, onde estariam os dois jovens que eles procuravam. “Quando a gente pensou que tudo estava resolvido, eles voltaram. Minha mãe estava ajeitando a porta e Alcides ficou ao lado dela. Minha mãe pediu que ele entrasse. Foi quando o assassino que aparentava ser mais velho agarrou ele e deu dois tiros. Um atrás da cabeça e outro na altura do olho”, contou a irmã da vítima.

Com informações do JC Online

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: