Política

Rapidinhas – Ecos do Carnaval: chapas estão quase prontas para a disputa

Os três principais pré-candidatos ao governo baiano aproveitaram o carnaval para adiantar conversas nos camarotes. Tanto o governador Jaques Wagner (PT) quanto o ex-governador Paulo Souto (Democratas) e o ministro Geddel Viera Lima (PMDB) já estão com as suas chapas praticamente fechadas.

Wagner sinaliza com Borges

Wagner confirmou que ele é candidato á reeleição, e tem uma vaga assegurada para o PP, que seria destinada a Otto Alencar. As outras duas vagas ainda serão definidas entre quatro nomes. Ele citou o da deputada federal Lídice da Mata (PSB), que deve ocupar o espaço no campo da esquerda, e o do senador César Borges, que pode fechar a qualquer momento.

Não a outro nome do PT

 

Pelas palavras do governador, os outros dois nomes devem ser o de Walter Pinheiro (PT) e o de Marcelo Nilo (PDT), também cotados para o Senado a e vice, respectivamente. Segundo Wagner, está praticamente descartado o nome de um segundo petista na chapa. Como já tem o dele, Wagner sinaliza que o hoje secretário Walter Pinheiro deve ficar mesmo reservado para a disputa na Prefeitura de Salvador, em 2012.

Lídice como vice

 

Sendo assim, crescem as chances de Lídice ser confirmada como vice, descartando o nome de Marcelo Nilo, que irá disputar a reeleição com possibilidade de ser apoiado novamente para presidir a Assembleia.

Conversa após o carnaval

 

Neste caso, estaria restando apenas confirmar o nome de Cesar Borges para fechar a ultima vaga na chapa, que dependeria apenas de uma conversa marcada para depois do carnaval. A outra, como dito, pertence ao conselheiro Otto Alencar, do PP. Somente se a operação Cesar Borges não vingar, Wagner repensaria a formação da chapa, trazendo Lídice para o Senado e recolocando o deputado Marcelo Nilo no páreo para a vice.

Oposição ainda espera Borges

Na oposição, liderada pelo ex-governador Paulo Souto (Democratas), as negociações também estão bem avançadas. Souto é o candidato ao governo e Nilo Coelho (PSDB), prefeito de Guanambi, é o nome mais cotado para assumir a vice. Para o Senado a grande dúvida passa a ser César Borges, que cada vez mais parece inclinado e fechar com Jaques Wagner.

ACM Júnior

Se Borges ficar, as duas vagas para o Senado devem ficar uma com ele e a outra com o ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho. Caso não conte com o nome de César Borges, a oposição já está preparada para trabalhar a reeleição do senador ACM Júnior, filho do ex-senador Antônio Carlos Magalhães. No rastro do filho ACM Neto, que deverá ser uma dos deputados federais mais votados, Júnior pode conquistar muitos votos.

Dobradinha com Ronaldo

 

Sendo assim, ACM Júnior faria uma dobradinha com José Ronaldo, herdando os votos que seriam de César Borges. Enfim, ainda existem algumas dúvidas, mas, considerando que ainda estamos em fevereiro, o quadro pré-eleitoral está cada vez mais nítido e acelerado.

Geddel com 2 nomes certos

 

Pelo lado o PMDB, o ministro Geddel Vieira Lima também adiantou o seu lado. Praticamente bateu o martelo com o nome do empresário do ramo da mineração João Carlos Cavalcanti para a vice, e o do vice-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito, para uma das vagas ao Senado.

 

Movendo peças

 

De qualquer forma, Geddel moveu duas peças no tabuleiro sucessório, mostrando que a prática é bem diferente do que vem sendo publicado pela mídia: que ele não teria nomes para compor uma chapa para disputar o governo.

Brito é a força do negro

 

Vá lá que não são nomes com tanta capilaridade de voto, mas são nomes conhecidos, pelo menos o de Edvaldo Brito. Além de vice-prefeito de Salvador, Brito possui um ótimo discurso, uma biografia irretocável, traz consigo a cor e o sangue negros para tocar a alma dos baianos, na sua maioria esmagadora formada de pele escura.

Pedral é especulado

 

Ainda assim, Geddel falta as outras duas vagas para formar o seu time. Opções já tem, mas ele prefere esperar o tempo para discutir mais. Se fechar com o PPS, por exemplo, o ex-prefeito de Vitória da Conquista, Pedral Sampaio, passa a ser uma opção. Além de representar o Sudoeste, Sampaio representaria o charme da esquerda na chapa do ministro, mesmo que Pedral já tenha mudado os seus rompantes de revolucionário.

Esquerda com Bassuma

 

Para não dizer que não falei de flores, a chapa do Partido Verde, embora sem alarde, também falta pouco para ser definida. Luiz Bassuma é o candidato ao governo e o deputado federal Edson Duarte será o único nome a ser lançado para o Senado. Falta definir o vice, o que o presidente estadual da legenda, Ivanilson Gomes, promete que não vai demorar muito.     

Ainda há lugar para surpresas

 

É claro que poderemos ter surpresas no meio do percurso. Até porque essa será uma eleição com forte vinculação com o quadro nacional, que ainda está meio confuso. Contudo, os personagens que deverão estar na mesa de negociações serão estes. Só mesmo uma mudança radical no processo para mexer nessas peças desse tabuleiro eleitoral.     

Por Evandro Matos

To Top
%d blogueiros gostam disto: