Política

Dilma não terá dois palanques nos Estados

O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou que ele e a ministra podem não comparecer ao Rio durante a campanha eleitoral, para que Dilma não fique em dois palanques. Para o chefe do executivo nacional, é impossível um candidato à Presidência subir em dois palanques de aliados. No Rio, Cabral e o ex-governador Anthony Garotinho do PR — partido da base do governo Federal — apoiam Dilma.

Nas palavras de Lula, “O que pode acontecer é que uma candidata à Presidência tenha dois governadores apoiando, mas imaginar que ela pode subir em dois palanques é impossível. O que vai acontecer é que em alguns estados ela não vai poder ir”.

BAHIA

Caso semelhante ocorre na Bahia, em que o atual governador Jacques Wagner (PT) e o Ministro da Integração Nacional Geddel Vieira Lima (PMDB) apóiam Dilma, e ao mesmo tempo disputam o governo estadual. Caso Dilma e Lula não compareçam na Bahia, acaba por enfraquecer a campanha de Wagner, a medida que a imagem do governador está diretamente associada ao lulismo.

Os baianos que não são adeptos ao petismo, e sim ao lulismo terão a opção de votar no ministro da integração nacional Geddel Vieira Lima (PMDB). Os baianos provavelmente terão também a opção de votar em Paulo Souto (DEM). Existem especulações do PV e do PSB lançarem chapas para concorrer ao executivo baiano  

Por Ramon Gusmão    

To Top
%d blogueiros gostam disto: