Política

Itamaraju – Frei Dilson roga inocência e emite Nota em repúdio a site

Em nota, o prefeito de Itamaraju ataca o Tablóide On Online, que ele acusa de praticar "vale-tudo" e de produzir "matérias por encomenda". Apesar dos protestos, na mesma data o prefeito teve mais uma ação encaminhada pelo TCM ao Ministério Público por irregularidades.

Temos assistido, nos últimos dias, a um festival de inverdades sem precedentes, publicadas pelo Tablóide On-Line. A total falta de escrúpulo com que o site tem feito suas matérias a respeito do prefeito de Itamaraju, frei Dílson, acaba de atingir o grau máximo de repulsa, indignação e desrespeito. O ápice da frouxidão ética dos redatores e a moral do vale-tudo fazem do site um exemplo clássico de jornalismo nazi-fascista. Já não há limite para a leviandade. 

Recentemente, o site tem repetido, de maneira reiterada, conteúdos que afetam, diretamente, a probidade, a honra e a imagem do prefeito, pois, tem atribuído a estas graves afirmações e ações que jamais existiram. As últimas dão conta de que o prefeito teria antecipado, publicamente, que sairia ileso do processo de cassação, dado que o secretário de Relações Institucionais, Rui Costa, assim lhe havia garantido, bem como que teria sido organizada uma festa destinada a comemorar um suposto placar de 5×2 em favor de frei Dílson.

Em resposta a estas matérias descabidas do Tablóide On-Line, é preciso esclarecer que estas são mais uma estratégia nefasta que o referido site engendra com o sórdido propósito de tentar forjar situações desfavoráveis ao prefeito, no julgamento da ação de impugnação de mandato eletivo que se encontra no TRE. Não é a primeira vez que esse meio de comunicação, a serviço do grupo opositor ao prefeito, produz matérias por encomenda que, no dia seguinte, são remetidas aos gabinetes de juízes e desembargadores.

Ao dizer que frei Dílson antecipa e festeja o resultado do julgamento em seu favor, e, ao atribuir-lhe a afirmação de que o secretário Rui Costa lhe garantira sair ileso do processo, os redatores do site acreditam cumprir, fielmente, a determinação dos seus patrões: buscar influenciar a subjetividade dos julgadores do TRE, em desfavor do prefeito, tocando na causa de maior constrangimento moral para um magistrado, ou seja, a ingerência externa na sua livre convicção.

Diante, pois, dessa irresponsabilidade monstruosa, desse desserviço público criminoso, o prefeito frei Dílson vem a público refutar, condenar e repudiar a mais essa construção maquiavélica do Tablóide On-Line, e, ao mesmo tempo, reafirmar o seu mais profundo respeito ao judiciário baiano, a sua plena confiança na formação imparcial do convencimento dos juízes (não mais submetidos ao chicote do carlismo), o seu compromisso com a independência e harmonia dos poderes, e a convicção de que a justiça e a verdade. Ao final, prevalecerão sobre toda e qualquer mentira, perseguição, artimanha, calunia e maldade que, cotidianamente, são arquitetadas em Itamaraju.

 

Apesar disso, TCM encaminha mais uma representação ao MP contra Frei Dílson

Em sessão realizada nesta quinta-feira (25), o Tribunal de Contas dos Municípios julgou procedente o termo de ocorrência lavrado contra o prefeito de Itamaraju, Dilson Batista Santiago, por irregularidades praticadas na contratação de empresa especializada na locação de veículos.

A relatoria determinou formulação de representação ao Ministério Público contra o gestor e imputou multa no valor de R$ 5 mil. Cabe recurso da decisão.

No exercício de 2007, o prefeito realizou processo licitatório, na modalidade tomada de preço, com o objeto de contratar uma empresa especializada na locação de veículos, sem motorista, para atender a diversos órgãos do município, no valor global de R$ 447.750,00.

A denúncia relatou que, mesmo com o certame licitatório desta monta ter tido apenas um concorrente, a administração não apresentou qualquer parecer escrito, fundamentando com motivos razoáveis, a continuidade do processo, o que evidenciou a ausência dos objetivos básicos do procedimento licitatório.

Foram detectadas ainda outras irregularidades como ausência da publicação do aviso do edital em jornal de grande circulação, e o desrespeito ao prazo mínimo de 15 dias para o recebimento da proposta, previsto no mesmo artigo, haja vista ter sido publicada uma errata no Diário Oficial dos Municípios, alterando a data de abertura das propostas de 28/03/2007 para 29/03/2007.

To Top
%d blogueiros gostam disto: