Política

Crimes de Porto Seguro já preocupam a direção estadual do PSB

O clima está cada vez mais quente em Porto Seguro. Acossado pelas denúncias de irregularidades em seu governo, o prefeito Gilberto Abade (PSB) foi surpreendido esta semana com o pedido de prisão preventiva do seu braço-direito, o supersecretário de Governo e Comunicação, Edésio Lima.

Ele é acusado de tramar o assassinato dos professores e sindicalistas da APLB/Sindicato, Álvaro Henrique Santos, 28 anos, e Elisney Pereira Santos, 31 anos, crime ocorrido em 17 de setembro de 2009.

Desde que teve a prisão preventiva decretada pelo juiz Roberto Freitas Júnior, da 1ª Vara Crime, que o secretário Edésio Lima está foragido. Na segunda-feira (1º), com a demora na elucidação do caso e prisão dos acusados, os professores da rede municipal protestaram em pontos estratégicos da cidade. O fato recolocou o crime nas manchetes, repercutindo em todo o Estado. Com a pressão, finalmente foi anunciada a prisão preventiva dos acusados. Nas manifestações, os professores acusavam a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) de atrasar as apurações pela influência dos implicados, mas foi negada peremptoriamente.

Contrariando uma nota da SSP, a promotora Ana Rita Nascimento informou que os mandados de prisão preventiva contra os implicados tinham sido enviados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e de Investigações Criminais (Gaeco) para a Superintendência de Inteligência da SSP/BA desde o último dia 10 de fevereiro.

Os mandados de prisão são para o secretário de Governo e Comunicação de Porto Seguro, Edésio Ferreira Lima Dantas, dos policiais militares Sandoval Barbosa dos Santos, Geraldo Silva de Almeida e Joilson Rodrigues Barbosa, além dos servidores Antônio Andrade dos Santos Júnior e Danilo Costa Leite, todos acusados de participação da execução dos professores e sindicalistas da APLB, Álvaro Henrique Santos e Elisney Pereira Santos.

Na última segunda-feira (01) os três PMs envolvidos nos crimes se apresentaram e foram presos no 8º Batalhão da Polícia Militar de Porto Seguro. Na terça-feira eles foram transferidos para Salvador e agora estão detidos no Batalhão de Choque da Polícia Militar em Lauro de Freitas.  

Contudo, o secretário Edésio Ferreira Lima, que já teria sido exonerado do cargo pelo prefeito Gilberto Abade (PSB), também na segunda-feira, e os servidores públicos municipais Antônio Andrade dos Santos Júnior e Danilo Costa Leite, continuam foragidos. 

Na terça-feira (02), o advogado Gutemberg Vieira, contratado para fazer a defesa de Edésio Lima, informou que o seu cliente se apresentaria à Polícia Civil a qualquer momento. Ele aproveitou para criticar a decisão judicial em decretar a prisão do seu cliente, por este ter vários anos de vida pública, possuir residência fixa e não oferecer nenhuma obstrução para o processo investigativo.  

Caso preocupa ao PSB. Vereadores querem o impeachment do prefeito

Não bastasse esse quadro de instabilidade política que envolve a participação direta do seu mais influente secretário, na terça-feira (02) o vereador Gilvan Florêncio (PT) entrou com um pedido de impeachment contra o prefeito Gilberto Abade. Além dele, mais quatro vereadores da Casa declaram que querem o impeachment do prefeito do PSB. São eles: Nilsão Cardoso, Manoelzinho Alves, Aliomar Bittencourt e Evaí Fonseca. O clima político na cidade é muito tenso.

A situação se agrava e preocupa o prefeito Gilberto Abade. Tentando desfazer boatos, ele divulgou nota para explicar a situação e negar qualquer possibilidade de renúncia, como foi especulado na cidade. Da mesma forma, o caso respinga na administração estadual do PSB, onde Edésio Lima exerce o cargo de Secretário-Geral, com forte ligação tanto com a deputada federal Lídice da Mata quanto com o secretário estadual de Turismo, Domingos Leonelli.   

Professores suspendem aulas em protesto

Os professores do município de Porto Seguro se reuniram para mais uma manifestação na manhã desta terça-feira (02), em frente a Secretaria de Educação. De acordo com Jurandyr Nascimento, presidente da APLB, as aulas da rede municipal foram suspensas e só vão retornar quando Edésio Ferreira Lima, ex-secretário de Governo e Comunicação, for preso. 

Por Evandro Matos

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: