História

Cangaço chega a Salvador e seminário sobre Maria Bonita empolga o público

O evento, realizado na Biblioteca Pública do Estado da Bahia, nos Barris, começou na segunda-feira (08) e se encerrou na quarta (10). Com uma vasta programação, o seminário contou com as presenças de Expedita e Vera Ferreira, filha e neta de Lampião, e da atriz e cantora Tânia Alves, que interpretou Maria Bonita na mini-série da Rede Globo “Lampião e Maria Bonita”.

O Seminário contou também com a presença de Paulo Brito, filho do Tenente João Bezerra, comandante da Volante que matou Lampião em Angicos, Sergipe, em 1938. Todos os dias aconteceram palestras, debates, músicas sobre a temática nordestina, venda de CDs e camisas, além da exibição de filmes sobre o cangaço e Maria Bonita. 

Entre os filmes exibidos estavam o Documentário “Maria: Bonita como a Rainha”, de Manoel Neto, Miguel Teles e Clebson Alves. Foram exibidos ainda os filmes “Memórias do Cangaço”, de Paulo Gil Soares, além de “Lampião, o Rei do Cangaço” (1937), de Benjamin Abraão, único registro de imagens dos cangaceiros em movimento nas caatingas do sertão nordestino.

Durante os três dias o espaço do 3º andar da Biblioteca dos Barris ficou completamente lotado. O público foi formado por pessoas de várias tendências, apaixonadas pela temática do cangaço. Entre as 300 pessoas que prestigiaram o evento diariamente estavam nomes como o do reitor e da vice-reitora da Uneb, Lourisvaldo Valentin e Amélia Maraux, respectivamente.

Prestigiaram o vento também os cantadores Fábio Paes, Gereba e Bule-Bule, o cineasta Antônio Olavo, o cordelista Antônio Carlos Barreto, os historiadores Sérgio Guerra(Uneb e Ucsal), Fernando Sá (UFS-Sergipe), José Carlos Pinheiro (Uneb), Tadeu Botelho (Uesb-Vitória da Conquista) e Ubiratan Castro (Fundação Pedro Calmon), a antropóloga Celene Fonseca (Uneb), os escritores Oleone Coelho Fontes e Luciana Savaget, os artistas plásticos Gildemar Sena e Petinha (de Uauá), Jô Oliveira (Brasília) e Renato da Silveira (Salvador), entre outros.

Seminário empolga participantes

O seminário teve como finalidade manter viva a memória do cangaço, com foco em Maria Gomes Oliveira, a Maria Déa, conhecida no cangaço como Maria Bonita, a famosa companheira de Lampião. Segundo os organizadores, o evento também serviu como preparativo para o Seminário sobre o centenário de nascimento de Maria Bonita, a ser comemorado no próximo ano.

O último dia, que contou com uma apresentação especial de Fábio Paes e Gereba, mostrou o quanto a festa foi importante para os que estiveram presente. O cineasta Antônio Olavo, por exemplo, que compareceu todos os dias, aplaudiu bastante a iniciativa. “Eventos como este devem acontecer sempre, porque contribuem para a valorização da memória popular. Excelente! Os organizadores estão de parabéns”, comentou.     

O evento contou com o apoio da Universidade do Estado da Bahia – Uneb, e teve a coordenação de Miguel Teles (Biblioteca Pública do Estado da Bahia), Vera Ferreira e Germana Araújo (Sociedade do Cangaço – Sergipe) e Roberto Dantas e Manoel Neto (Uneb).

Este ano foi a comemoração dos 99 anos de nascimento de Maria Bonita. Para os organizadores, o seminário serviu como preparativo para o de 2011, quando acontecerão as comemorações pelo centenário de nascimento da cangaceira. A Uneb já prometeu apoio total para a organização do seminário. Mais informações no blog: www.centenariomariabonita.blogspt.com.

Por Evandro Matos

To Top
%d blogueiros gostam disto: