Política

Rapidinhas – PDT cobra compromisso de participação na chapa majoritária

Além da briga pelo Senado, a vaga de vice na chapa de reeleição do governador Jaques Wagner (PT) também está esquentando. Lídice da Mata (PSB), Otto Alencar (sem partido) e Marcelo Nilo (PDT) são os nomes mais cogitados.

Quando se aliou ao governo estadual, em setembro de 2009, o PDT argumentou que estaria se recompondo com o seu campo de atuação, mas houve também a discussão sobre o espaço que o partido ocuparia no governo e a participação na chapa majoritária a ser encabeçada pelo governador Jaques Wagner (PT).

Musculatura

No entanto, apesar de ter ganho musculatura a partir desse fato e de estar vivendo um grande momento, pelas costuras em curso, não existe sinais claros de que o partido venha participar da chapa governista. Vinda de Lupi De acordo com informações do presidente Alexandre Brust, a entrada do partido no governo teve a participação direta do ministro Carlos Lupi, presidente licenciado da legenda. Conta Brust que Lupi veio à Bahia duas vezes para conversar com o governador Jaques Wagner para tratar da questão.

Conversa reservada

“Num desses encontros em que nós fomos chamados para conversar, na Governadoria, Wagner esteve com Lupi numa área reservada para acertar detalhes da aliança, pelo menos por uns 30 minutos. Quando eles voltaram para a mesa, foi colocado pelo próprio governador que Lupi havia lhe feito essa condição e ele teria dito que na hora oportuna avaliaria a questão”, disse Brust.

Hora de a onça beber água

Preocupado com o desenrolar das negociações, o pedetista entende que o partido não pode ser atropelado pelos fatos, por isso cobra as condições impostas por Lupi para que o PDT aderisse ao governo. “Chegou a hora de a onça beber água. Sabemos a necessidade e importância do PDT na chapa majoritária”, avaliou Brust.

Novo momento

 Ele argumentou ainda que, à época do acordo, o partido tinha apenas três deputados estaduais e três federais. “Nesse momento, o PDT conta com seis deputados estaduais, incluindo o presidente da Assembleia Legislativa e o seu primeiro Secretário, e dois deputados federais (podendo chegar a quatro, a depender do julgamento do TSE). Isso sem falar que, com os novos aliados, o partido pulou de nove para aproximadamente 60 prefeitos”, avaliou.

Nilo para vice

 É diante dessa nova realidade que os pedetistas avaliam que têm condições de indicar um nome para compor a chapa majoritária de Wagner. Perguntado sobre quem o partido indicaria, Alexandre Brust não vacilou: “Nosso nome é Marcelo Nilo, na vice”. O brizolista avalia que, “assim com os outros partidos estão reivindicando a participação na chapa majoritária, o PDT também mantém o seu pleito e a expectativa do seu acolhimento. Hoje, nós estamos cacifados para disputar a majoritária”.

Eleição proporcional

Em relação às discussões sobre a chapa proporcional, Brust defende o equilíbrio entre as chamadas forças de centro direita com as de centro esquerda, como parece pretender o governador Jaques Wagner. “Na estadual, a nossa proposta é que haja no mínimo duas coligações envolvendo os partidos da base do governo, tendo em vista o elevado número de candidatos a deputado estadual”, avaliou o presidente do PDT.

Chapão para federal

 Já para a Câmara Federal, o PDT concorda que haja o “chapão”, abrigando todos os partidos da base governista, inclusive o PR. Alexandre Brust informou que já houve uma conversa entre o seu partido, Jonas Paulo, presidente estadual do PT, e Luiz Caetano, Prefeito de Camaçari e apontado como o coordenador da campanha de Wagner. “Nós tivemos uma conversa preliminar, mas não ficou nada decidido. Para nós, acho que o chapão é vantajoso”, colocou o brizolista.

Partido pensa igual

Procurados para falar sobre o assunto, os deputados estaduais Euclides Fernandes e Roberto Carlos, os dois mais antigos da legenda, não foram localizados. Contudo, o presidente Alexandre Brust disse que todos os deputados estão cientes e concordam com as posições defendidas pelo partido sobre a participação na chapa majoritária e discussões sobre a proporcional.

Reunião estratégica

Nesta terça-feira, a pedido de Marcelo Nilo, o presidente Alexandre Brust participa de uma reunião com os outros cinco deputados da legenda na Assembleia Legislativa. Pauta: discussão de novas estratégias para a participação do PDT na chapa de Wagner. Enfim, o partido se movimenta e parte com determinação para fazer jus ao seu novo momento.

Por Evandro Matos

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: