Polícia

Juiz requer transferência de Edésio Lima para Porto Seguro em até 5 dias

O juiz da Vara Crime de Porto Seguro, Roberto Costa de Freitas Júnior, acatou o pedido do Ministério Público (MP) em requerer a transferência imediata de Edésio Lima para a comarca de Porto Seguro, “sob argumento de que a custódia em Salvador implicará na delonga processual”.

Em contrapartida, o advogado do acusado defende a permanência do mesmo em Salvador porque “não acredita minimamente que estará em segurança, acaso mantido encarcerado em Porto Seguro”.

O juiz Roberto Costa afirma que o réu deve estar custodiado na comarca em que tramita o processo, Poro Seguro. Pois, preso em Salvador, distante mais de 700 Km dessa comarca, todas as comunicações exigiriam a expedição de carta precatória e isso prejudicaria, e muito, a andamento do processo.

O mesmo vale para os co-réus policiais que estão custodiados em Lauro de Freitas, também a mais de 700 Km desse Juízo.

Quanto a segurança dos acusados em Porto Seguro, o juiz afirma que é dever do Estado garantir a segurança daqueles que estão sob sua custódia. E que o fato de os acusados ficarem presos em Porto Seguro não ameaçará a integridade física e moral dos mesmos.

O juiz Roberto Costa requer que o delegado-chefe Joselito Bispo providencie o recambiamento de Edésio Lima no prazo de 5 dias. E, também, requisita ao comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar o recâmbio dos réus policiais militares Sandoval dos Santos, Geraldo de Almeida e Joilson Barbosa, também no prazo de 5 dias.

Por fim, o juiz requisita ao Setor de Inteligência da Polícia Civil, na pessoa do Dr. Maurício Telles, o material de interceptações telefônicas relativas à Operação Alfabetização, a ser remetido ao Juízo de Porto Seguro no prazo de 48 horas.

As informações são do Jornal O Sollo

To Top
%d blogueiros gostam disto: