Economia

Senador César Borges protesta contra portos baianos fora do PAC 2

O senador César Borges (PR-BA) cobrou nesta terça-feira (23), no Senado, a reposição dos três portos públicos baianos (Salvador, Aratu e Ilhéus) no PAC 2 e protestou contra a decisão do governo federal, que vai priorizar no Nordeste apenas os portos de Pecém (Ceará) e Suape (Pernambuco), com cortes de investimentos de R$ 750 milhões nos portos baianos.

“Isso é inadmissível. A Bahia está perdendo investimentos privados por causa da falta de obras de melhorias nos seus portos, que são da responsabilidade federal”, afirmou.

Num tom que chamou de “apelo dramático”, César Borges fez um pedido ao ministro Pedro Brito, da Secretaria Especial de Portos, para que não deixe de lado os projetos da Bahia e leve suas ponderações à ministra Dilma Rousseff, da Casa Civil, que coordena o PAC, e ao presidente Lula.

César Borges argumentou que a Bahia é hoje a sexta maior economia do país, maior exportador do Nordeste, e não merece “ser tratada deste jeito”. Ele também estimulou o governador da Bahia, Jacques Wagner, a lutar junto ao presidente Lula e à ministra Dilma Rousseff, para a obtenção das obras nos três portos.

“Estou perplexo porque o governo não incluiu os portos da Bahia entre os corredores de exportação do país, sequer como prioridade regional”, acrescentou César Borges. Para o porto de Salvador estavam previstos R$ 500 milhões de recursos para ampliar em 540 metros suas instalações e aprofundar para 15 metros o leito marinho, além de ampliar em 405 metros o quebra-mar norte.

A obra permitiria atracação de mais navios de grande porte. Para Aratu, o corte alcançou R$ 250 milhões para construção de um terceiro píer e pátio para  movimentação de granéis sólidos.

To Top
%d blogueiros gostam disto: