História

Jornal relata o drama para o reencontro entre pai e filho de família de Tucano

"O sonho da minha vida é reencontrar meu filho". Esta é a frase de um pai ao saber que o filho que ele não vê há oito anos está à sua procura. O portal, mais uma vez, cumpre o papel de ajudar os nordestinos que migram para o sul

O Mogi News recebeu um email com um apelo de um rapaz de 19 anos, morador de Salvador, Bahia, dizendo que tinha localizado o nome do pai por meio do jornal.

A mensagem contava uma história de desencontro e de emoção. João Leno dos Santos Costa viu o pai pela última vez quando tinha 12 anos e, desde então, procura informações sobre o paradeiro dele. “Sabia que ele morava em São Paulo, mas não sabia exatamente onde” contou.

O Mogi News investigou e encontrou o pai de João, Ademario Nascimento da Costa, que realmente vive em Mogi das Cruzes. Costa, de 40 anos, recebeu nossa equipe para contar um pouco desta historia.

Em Tucano, cidade no semiárido baiano, que fica a cerca de 400 quilômetros de Salvador, Costa morava com sua mulher e o filho João. Ao se separar da mulher, ele conseguiu na Justiça a guarda do menino que, na época, tinha dois anos. Por determinação da Justiça, a mãe poderia ver a criança nos finais de semana. Costa conta que, no segundo dia em que estava com a guarda de João, sua ex-mulher o levou para passar e não retornou com o garoto. “Fui procurá-los na casa onde ela morava, mas encontrei o lugar fechado”, relatou.

Costa disse que procurou o filho pelas cidades vizinhas, e foi orientado pela juíza de Tucano para que, quando o encontrasse, fosse procurar o juiz da cidade para obter a guarda do menino de volta. Isso não aconteceu. O pai resolveu vir para São Paulo, mas jamais esqueceu o filho. “A cada dois, três anos eu viajava para a Bahia para procurá-lo” afirmou.

Quando João tinha 11 anos, Costa descobriu que o filho estava morando em Tucano com a avó materna. Ele resolveu, então, ir ao encontro do menino. “Passei um dia com ele, andamos de bicicleta e levei meu filho para uma festa que estava acontecendo na cidade”. Segundo ele, a mãe do garoto, ao descobrir isto, levou João para Salvador. “Depois deste dia nunca mais vi meu filho, tentei encontrá-lo, mas Salvador é muito grande” desabafou.

No ano passado, Costa conseguiu localizar uma tia do garoto e recebeu dela alguns números de telefone para que ele pudesse conversar com João. “Eu tinha alguns números, mas com a viagem acabei perdendo” disse.

O homem lamenta não ter convivido com o filho e mostra a única recordação que tem do menino: uma foto 3×4 que guarda com carinho. Ao falar dos anos que foi privado da convivência com João, Costa se emociona “Eu seria uma pessoa mais feliz se tivesse meu filho ao meu lado” garantiu.

Sobre o encontro, o pai quer que o filho venha conhecer sua casa, a nova família e Mogi das Cruzes, cidade em que reside há seis anos. “Quero que o João venha para cá, porque tudo o que construí aqui um dia será dele. Isto vai ser a coisa mais feliz da minha vida” ressaltou.

O filho

João ficou muito emocionado ao saber que a reportagem havia encontrado seu pai. “Eu resolvi colocar o nome do meu pai na Internet e a primeira coisa que apareceu foi essa matéria do Mogi News”, contou. Quando João viu o nome do pai conversou com a mãe que o incentivou a entrar em contato com o jornal. “Mandei o e-mail, mas não sabia se realmente se tratava do meu pai”, disse.

O rapaz contou que sempre teve curiosidade em conhecer seu pai. “Eu sempre perguntava para minha mãe sobre ele, mas ela não tinha muito que me contar”, lamentou. Sobre a vontade de conhecer o pai, João diz: “Quero visitá-lo, mas agora está complicado, pois ainda estudo no terceiro ano do Ensino Médio”, ressaltou.

João conta que nesses anos teve o padrasto como referência paterna. “Tenho uma vaga lembrança de meu pai, meu padrasto substituiu essa figura”, contou. O estudante estava muito feliz e emocionado. “Não sei o que dizer, mas com certeza estou muito alegre com isso”, afirmou.

Perguntado se sentia algum ressentimento do pai, João disse: “Não tenho nenhuma mágoa dele, eu só quero reencontrá-lo para restabelecer os laços de afinidade e conviver com ele”. Resta, agora, o reencontro. “Não sei quando ou como, só quero poder fazer isso”.

Informações do Mogi News

To Top
%d blogueiros gostam disto: