Saúde

Botuporã: Enterrado corpo de um dos gêmeos siameses separados por cirurgia em Goiânia; irmão apresenta melhora

O corpo de Arthur Ledo Rocha Brandão, de 5 anos, um dos gêmeos siameses que não resistiu após a cirurgia de separação em Goiânia, foi enterrado na tarde deste domingo (1º), no município de Botuporã. Arthur morreu na noite de sexta-feira (27) após uma parada cardíaca, no Hospital Materno Infantil (HMI).

Antes de ser enterrado, o corpo de Arthur passou por Riacho de Santana, na Bahia, onde foi velado na casa da avó materna. Houve uma missa na igreja da paróquia Nossa senhora da Glória. Em seguida, o corpo foi levado para a casa da avó paterna, onde familiares se despediram do garoto e o enterraram no cemitério municipal de Botuporã.

“Eu só queria dizer a você, filho amado, muito obrigado! Você assim como seu irmão Heitor veio para transformar nossas vidas. Painho irá carregar você dentro de mim como sempre vinha carregando. Te amo do tantão do universo”, lamentou Delson na rede social. “Sinto que um pedaço de mim se foi. Eu quero você aqui comigo, mas não a qualquer custo. Vai com Deus e durma com os anjos do Senhor”, disse o pai dos meninos, no Facebook.

Irmão melhorou

O irmão dele, Heitor, segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas já apresenta melhoras. Na noite de domingo (1º), Delson Brandão postou uma foto do filho acordado, fazendo sinal positivo e um vídeo em que o menino pede para beber água.

“Difícil isso mas preciso dizer que estou feliz. Muito feliz!! Hoje enterrei meu filho e nesse momento de tristeza eu preciso compartilhar um momento de pura alegria. Uma foto de meu filho Heitor Brandão. Desculpe só a imagem fala tudo. Obrigado meu Deus e cuide de meu Toka!”, escreveu o pai emocionado com a melhora do garoto.

“Se eu estava com o coração doido, hoje ele se enche de esperança. ‪#‎VamosHeitor”, completou o pai, que está voltando para Goiânia.

Entenda o caso

Os dois irmãos nasceram no mesmo hospital em que estão internados, no dia 8 de abril de 2009. A família dos garotos, no entanto, é natural de Riacho de Santana, na Bahia. Os dois nasceram unidos pelo tórax, abdômen e bacia, e compartilhavam o mesmo fígado e genitália.

O médico Zacharias Calil contou que essa foi a 12ª operação de siameses que realizou e que acompanhava o caso desde que os meninos nasceram. “Pensamos em operá-los quando tinham 1 ano, mas precisamos esperar porque eles tinham pouca pele”, contou o médico.

Segundo ele, ainda assim, foi necessário usar bolsas de silicone durante a operação para elastecer a pele dos irmãos. Cerca de 40 profissionais participaram da operação entre anestesistas, cirurgiões, cardiologistas, pediatras, entre outros.

No Facebook, o pai dos garotos, Delson Brandão, tinha comemorado o encontro dos gêmeos após a cirurgia. “Momento mais lindo foi quando Heitor, querendo falar, disse: ‘Quero ver Arthur’ e a enfermeira levantou a cabecinha dele e ele viu o irmão na cama ao lado. Isso foi outro momento que nós choramos de muita alegria. Amém, senhor”, escreveu. (Informações do Correio). 

To Top
%d blogueiros gostam disto: