História

Riachão: Corpo do jovem que ingeriu soda cáustica em São Paulo é sepultado no cemitério local sob forte comoção

O sepultamento do jovem André Luiz Oliveira Silva, 19 anos, que morreu no final da tarde da última quinta-feira (21), após ingerir soda cáustica, em São Paulo, aconteceu no último sábado (23), por volta das 15h, no cemitério de Riachão do Jacuipe.

O corpo foi transladado de São Paulo para Riachão do Jacuipe às 7h do sábado, chegando ao aeroporto Deputado Luis Eduardo Magalhães, em Salvador, por volta das 9h. A chegada do corpo a Riachão aconteceu por volta das 12h20.

O corpo de André Luiz foi velado até às 15h na capela do cemitério local, com cânticos e celebrações, com a presença de familiares e muitos de amigos, e logo depois foi sepultado.

Luta da mãe e familiares   

André Luiz era filho de Maria Cristiana Oliveira da Silva, moradora da região de Nova Esperança, em Riachão do Jacuipe. Era neto do senhor Manoel Costa Silva, conhecido por Caboquinho, e dona Aidê Maria Cordeiro. Há cerca de oito meses, a convite do pai, ele havia deixado Riachão do Jacuipe e ido morar em São Paulo. 

Segundo informações de familiares, no último dia 23 de abril, André Luiz bebeu soda cáustica (diabo verde), o que teria provocado várias conseqüências no seu corpo, inclusive perda de órgãos. Ao tomar conhecimento, a mãe se deslocou para São Paulo para acompanhar o filho, mas ele já estava desenganado pelos médicos.

A ação da substância tóxica sobre o corpo de André Luiz foi devastadora. Segundo as informações, abatida, a namorada havia se negado a vê-lo devido ao seu estado. Até a chegada da mãe, a sogra era quem cuidava de André Luiz no hospital.

O sepultamento do jovem foi marcado pela emoção. Antes de o corpo ser levado para a sepultura, todos os presentes aplaudiram com uma salva de palmas. Ao lado do caixão, a mãe e os dois irmãos não se continham em lágrimas, o que contagiava a todos.  

To Top
%d blogueiros gostam disto: