Política

Cândido Vaccarezza, ex-deputado com laços em Feira, é preso em nova fase da Lava Jato

O ex-deputado federal Cândido Vaccarezza, com laços familiares em Feira de Santana e Candeal-Ba, foi preso temporariamente (por até 5 dias) nesta 6ª feira (18.ago.2017) em São Paulo em ação das 43ª e 44ª fases da Lava Jato. Ele havia sido líder dos governos Lula e Dilma.

A Polícia Federal cumpre desde as primeiras horas desta 6ª feira (18.ago) mandados da operação em cidades do Rio de Janeiro e em São Paulo. As etapas foram batizadas de “Operação Sem Fronteiras”e “Operação Abate”.

Foram cumpridas 46 ordens judiciais, sendo 29 de busca e apreensão, 11 de condução coercitiva e 6 de prisão temporária em São Paulo, Santos e no Rio de Janeiro. Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR).

As duas novas fases apuram casos de corrupção, desvio de verbas públicas e lavagem de dinheiro. Os crimes foram identificados em contratos firmados entre a Petrobras e grandes empresas.

Conforme a PF, a Operação Abate tem objetivo de desarticular 1 grupo criminoso apadrinhado por ex-deputado federal, cuja influência era utilizada para a obtenção de contratos da Petrobras com uma empresa estrangeira. Nesta relação criminosa, a PF afirma que houve desvio de dinheiro para executivos da estatal e agentes públicos e políticos, além do próprio ex-parlamentar.

Na chamada Operação Sem Fronteiras o alvo é a relação entre executivos da petroleira e um grupo estrangeiro para obtenção de informações privilegiadas e favorecimento na negociação de contratos milionários com a empresa brasileira.

Os contratos superam US$ 500 milhões. Ao menos 2% desses valores era destinado ao pagamento de propina a funcionários públicos corrompidos, operadores financeiros e agentes políticos.

As provas colhidas apontam que Vaccarezza, líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados entre janeiro de 2010 e março de 2012, utilizou a influência decorrente do cargo em favor da contratação da empresa norte-americana Sargeant Marine pela Petrobras. Entre 2010 e 2013 foram celebrados 12 contratos no valor de aproximadamente US$ 180 milhões. (Informações do Poder360).

To Top
%d blogueiros gostam disto: