Política

Neto desvia de PMDB e elogia Huck: sensibilidade diferenciada

Parceiro de primeira hora do PMDB, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), se esquivou de comentar a situação atual do partido, que tem o ex-ministro Geddel Vieira Lima preso, suas principais lideranças investigadas na Operação Lava Jato e o próprio presidente da República alvo de uma segunda acusação formal por supostamente integrar organização criminosa e obstruir a Justiça.

De acordo com o democrata, ele tem ido a Brasília conversar com os aliados, sem uma preocupação específica com a situação dos peemedebistas.

“Eu não vou me envolver nas questões do PMDB. Não há hipótese. Eu tenho conversado com as lideranças do PMDB como eu converso com todas as lideranças partidárias da Bahia. As questões do PMDB são do PMDB e cabe ao PMDB as decisões. Eu vou apenas aguardar.

Depois que o PMDB buscar os seus caminhos a gente avalia qual é a condição política do partido, em uma eventual aliança, mas não me cabe. Eu tenho que respeitar a autonomia e a independência”, afirmou o gestor soteropolitano, durante o evento de assinatura de um termo de compromisso entre o Ministério da Educação e a administração soteropolitana, nesta sexta-feira (29), no Sheraton da Bahia Hotel, para a reconstrução de nove Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs).

Especificamente sobre a denúncia contra Temer, Neto disse que a bancada do seu partido ainda não discutiu o assunto, mas a postura a ser adotada deve ser semelhante à da primeira peça encaminhada pela Procuradoria-Geral da República: liberar os deputados “para fazerem seus julgamentos de acordo com as suas convicções”. “No nosso partido não existe nenhum desejo de fechar questão ou de impor posições nesse ou naquele sentido”, pontuou.

Ainda sobre as suas viagens para discutir, sobretudo a eleição de 2018, quando deverá ser candidato ao governo da Bahia, o prefeito admitiu ter se encontrado com o apresentador Luciano Huck, mas não confirmou que a reunião tratou de uma possível filiação do global ao DEM para compor uma chapa presidencial.

“Ao que eu saiba, não existe nenhum impedimento ou objeção da gente conversar com quem quer seja. Eu vejo o Luciano Huck muito preocupado com o Brasil, querendo ajudar a melhorar a política do país. É um cara que conheço a realidade do Brasil de ponta a ponta, porque, como comunicador, já teve a oportunidade de rodas os quatros cantos deste país. É um cara que tem uma sensibilidade diferenciada em relação às questões do Brasil. Então, é um cara importante para gente conversar. É um momento de a política se abrir e não se fechar, de conversar e dialogar com todos. É nesse espirito que a gente conversa com Luciano Huck e com várias outras personalidades, que demonstram ter espírito público e compromisso com o Brasil”, tergiversou.

Neto, Huck e o ministro da Educação, Mendonça Filho, estiveram juntos na quinta-feira da semana passada (21) no Rio de Janeiro. (Fonte: Bahia.Ba).

 

To Top
%d blogueiros gostam disto: