Eleições 2018

Após levar ‘cola’, Bolsonaro quer desistir dos debates na TV

No penúltimo bloco do segundo debate entre os presidenciáveis, na Rede TV, na sexta-feira, dia 17, Jair Bolsonaro (PSL) foi flagrado conferindo anotações na própria mão momentos antes de fazer uma pergunta para Marina Silva (REDE) sobre o porte de armas. O deputado federal estava no centro do estúdio quando resolveu ‘colar’ três tópicos que havia escrito em sua mão: as palavras “pesquisa”, “armas” e “Lula”.

Bolsonaro tentou se prevenir, provavelmente indicando o caminho que queria seguir nas perguntas para a candidata da Rede. Não deu muito certo. Acabou tomando uma ‘invertida’ de Marina, que aproveitou para dar uma bronca no deputado sobre sua posição sobre igualdade salarial e armamento da população.

Durante o debate, Bolsonaro, além da pergunta sobre armamentos para a ex-ministra, também fez um comentário sobre o ex-presidente e candidato ao Planalto que está preso em Curitiba, Luiz Inácio Lula da Silva, que teve a sua participação negada no debate pela Justiça. Nervoso, em determinado momento Ciro Gomes foi visto lhe orientando a olhar para a câmera.

Outro momento difícil para Bolsonaro foi quando o jornalista Reinaldo Azevedo fez uma pergunta a ele sobre economia para comentários de Ciro Gomes. Ele acabou fazendo uma salada de frutas, misturando as palavras, sem dar uma resposta lógica sobre o que foi perguntado. “Pergunta no Posto Ipiranga”, costuma dizer Bolsonaro, fugindo da resposta, mas certamente se deliciando com os seus seguidores.

Para muitos, esses momentos do debate na Rede TV confirmaram o despreparo do candidato, que já é motivo de discussão entre os seus opositores e pelos eleitores que já começam a se interessar pela sucessão presidencial.

Não vai mais

Diante desse quadro, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, decidiu que não participará dos próximos debates com adversários durante o decorrer da campanha eleitoral. A informação foi confirmada durante a noite desta quarta-feira (22) pelo presidente em exercício do partido, o advogado Gustavo Bebianno, ao portal de notícias UOL.

A defesa do candidato pediu nesta quarta-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) a antecipação do julgamento da Primeira Turma da Corte, que vai decidir se recebe ou não outra denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Bolsonaro por crime de racismo.

O julgamento está marcado para o dia 4 de setembro, quando a propaganda eleitoral já estará sendo veiculada no rádio e na televisão. “O País não para por causa de campanha eleitoral. A Justiça continua normalmente”, disse o presidente da Primeira Turma, ministro Alexandre de Moraes, a repórteres, ao chegar para a sessão plenária do STF nesta tarde.

P. S. : Hoje, no final da tarde, após a repercussão, a assessoria do candidato admitiu que ele pode repensar a decisão e ir em pelo menos três debates. (Da redação).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: