Política

Gestão de Alexandre Kalil é aprovada por 73% em BH

Em seu terceiro ano à frente da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), Alexandre Kalil (PHS) alcançou aprovação de 73,2% dos moradores da capital mineira, segundo levantamento realizado pela Paraná Pesquisas. Por outro lado, a gestão de Kalil recebeu desaprovação de 23,5% dos eleitores, enquanto 3,4% não souberam responder ou não opinaram.

Alexandre Kalil, prefeito de Belo Horizonte (Foto: Uarlen Valério)

O instituto entrevistou 894 eleitores de 16 anos ou mais entre os dias 26 e 29 de março no município de Belo Horizonte. A pesquisa foi registrada no Conselho Regional de Estatística da 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª Região sob o número 3122/19. A amostra tem um nível de confiança de 95% para uma margem de erro estimada de, aproximadamente, 3,5 pontos percentuais para os resultados. 

A pesquisa ainda mostrou outros números positivos para o prefeito da capital. Para mais da metade dos entrevistados, o governo de Alexandre Kalil é bom (40,6%) ou ótimo (13,9%). A avaliação ruim/péssima atingiu 12,8%, enquanto 31% consideram a gestão da PBH regular. Os eleitores que não souberam responder ou preferiram não opinar somaram 1,7%.

Alexandre Kalil, que é ex-presidente do Clube Atlético Mineiro, foi eleito em 2016 com 52,9% dos votos válidos do pleito em segundo turno contra o deputado estadual João Leite (PSDB). O estudo da Paraná Pesquisas também simulou cenários possíveis para 2020, quando haverá eleição municipal. Na pesquisa estimulada, quando as opções são informadas ao entrevistado, Kalil venceria a disputa com folga.

Em uma primeira hipótese, ele atinge 45,3% e venceria no primeiro turno. O adversário que aparece no segundo posto é o ex-prefeito de BH Marcio Lacerda (sem partido), com 12,6%. Os nomes dos deputados estaduais João Vítor Xavier (PSDB) e Sargento Rodrigues (PTB), dos deputados federais Eros Biondini (PROS) e Reginaldo Lopes (PT), do ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio (PSL) e do ex-deputado federal Leonardo Quintão (MDB) também aparecem no levantamento, todos abaixo de 6%. Sem Marcio Lacerda no páreo, Kalil sobe para 50,8%.

Já na pesquisa espontânea, quando o eleitor não tem as opções reveladas, o número de indecisos chama atenção: 70,9%. Nesse formato de avaliação, Kalil foi citado por 15,3% dos entrevistados, seguido de longe por Marcio Lacerda (0,9%) e pelo senador tucano Antonio Anastasia (0,8%). Informações do jornal O Tempo.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas