Política

Marco Feliciano recebe R$ 157 mil da Câmara para pagar tratamento odontológico

O deputado Pastor Marco Feliciano (Podemos-SP) solicitou, em abril, um reembolso de R$ 157 mil à Câmara dos Deputados para cobrir gastos referentes a um tratamento odontológico. 

A justificativa do parlamentar para o pedido, aprovado pela Casa, foi a necessidade de corrigir um problema na articulação da mandíbula e de fixar coroas e implantes. As informações foram divulgadas pelo jornal “O Estado de S. Paulo” no domingo (5).

Inicialmente, o pagamento foi rejeitado pela equipe técnica do setor de perícia da Câmara. No entanto, a Casa aprovou depois de Feliciano recorrer e apresentar um laudo de seu dentista. 

A primeira avaliação indicava que havia problemas na prescrição dos procedimentos e que o valor do tratamento era incompatível com o preestabelecido pela Câmara. Após a reconsideração, sete parlamentares da Mesa Diretora aprovaram o gasto.

Feliciano disse ao jornal que sofria de bruxismo (hábito de ranger os dentes durante o sono), condição que “não deseja para ninguém”. Ele também argumentou que enquanto político e pregador (líder religioso da Catedral do Avivamento), utiliza a boca como “ferramenta”.

O pagamento do tratamento de Feliciano foi realizado porque deputados têm direito a plano médico da Caixa Econômica Federal e também podem pedir à Câmara que reembolse despesas com tratamentos médicos e odontológicos. 

O teto para que isso ocorra de forma automática é de R$ 50 mil – solicitações que ultrapassam o valor precisam ser analisadas e aprovadas, como ocorreu com a do pastor.

À reportagem, Feliciano assumiu que o tratamento odontológico ficou “caro” e pontuou que havia encontrado orçamentos ainda mais dispendiosos do que o escolhido. Ele argumentou que precisava do procedimento e que os parlamentares dispõem da possibilidade de reembolsos, prova de que “não há crime” em seu pedido. 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas