Nordeste

Ministério Público denuncia Zé do Valério, homem que matou universitária no Ceará

O Ministério Público do Ceará (MPCE) denunciou o vaqueiro José Pereira da Costa, o Zé do Valério, pelo assassinato da universitária Daniele de Oliveira Silva. O suspeito é acusado de pelo crime de homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e feminicídio.

Zé do Valério, suspeito de estuprar e matar universitária Danielle Oliveira em Pedra Branca

A denúncia foi entregue pela Promotoria de Justiça de Pedra Branca na última segunda-feira (5), mas divulgado apenas nesta quinta-feira (8) pelo órgão. Segundo o MPCE, Zé do Valério matou a vítima após constrangê-la “mediante violência e grave ameaça, a ter conjunção carnal e prática de atos libidinosos, matando-a cruelmente, por motivo torpe e por razões da condição de sexo feminino”, diz o documento.

Os laudos, exames periciais e depoimentos indicam que a vítima estava sozinha produzindo queijos artesanais quando foi abordada pelo suspeito, que estava armado e a levou até um matagal, onde a matou. O promotor de Justiça Rafael Matos de Freitas Morais afirma que a autoria do crime está comprovada pelas provas obtidas na investigação.

Ao ser capturado, Zé do Valério confessou o crime, mas negou ter cometido estupro. Ele disse à polícia, entretanto, que tentou beijar a vítima porque era apaixonado por ela.

Danielle Oliveira, de 20 anos, foi encontrada morta em Pedra Branca (Foto: reprodução)

O vaqueiro foi preso em uma área de mata fechada após cerco realizado por policias da Força Tática e da subagência de Inteligência do 7º Batalhão de Polícia Militar de Crateús. Ele tentou correr, mas foi capturado. Com o suspeito, a polícia apreendeu uma arma com seis balas. 

As buscas por Zé do Valério ocorriam há mais de dois meses nas regiões de mata do Ceará e Piauí. Durante a fuga, o vaqueiro roubou uma moto, invadiu uma casa e furtou comida, mas sempre acabava escapando do cerco policial se escondendo na mata. 

O vaqueiro havia trabalhado no sítio da família, onde a universitária estava antes de ser morta. Ele prestava serviços como vaqueiro e amansando animais.

Danielle era filha de pequenos produtores rurais de queijo e cursava faculdade de Administração. A jovem também era dona de uma pequena loja na cidade. (Fonte: Diario do Nordeste).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas