História

Audiência Pública na Câmara de Salvador mostra importância dos mártires da Revolta dos Búzios

A Câmara deu o primeiro passo para a criação do Dia Municipal em Memória dos Mártires da Revolta dos Búzios (em 8 de novembro) ao debater em audiência pública a importância dos heróis do movimento emancipacionista, na manhã desta quarta-feira (28), no auditório do Anexo Bahia Center. A atividade legislativa foi requerida e dirigida pela vereadora Marta Rodrigues (PT).

A Audiência Pública foi prestigiada pelo público e contou com diversos debatedores

Segundo Marta Rodrigues, “a partir desta audiência pública estaremos dando entrada num projeto de lei para instituir o dia 8 de novembro como dia municipal, reconhecendo a importância histórica de todos os líderes da Revolta dos Búzios”.

A mesa defendeu a criação do Dia Municipal em Memória dos Mártires da Revolta dos Búzios

A vereadora observou que a Câmara faz parte deste processo de reconhecimento dos mártires Antônio José, Luiz Gonzaga, João de Deus, Lucas Dantas e Manuel Faustino. “Eles ficaram presos na Câmara, onde funcionava a cadeia da cidade”, lembrou.

A Audiência Pública foi requerida e dirigida pela vereadora Marta Rodrigues (PT)

“Os heróis da Revolta dos Búzios são esquecidos, mesmo tendo doando as suas vidas para termos uma sociedade melhor e sem racismo”, frisou a vereadora. Ela lembrou que Tiradentes, por conta de sua luta, tem este reconhecimento histórico. Sobre a data da audiência, em 28 de agosto, ressaltou que “foi escolhida para homenagear Antônio José, envenenado na cadeia, neste dia, após ser preso”.

Emoção

De acordo com o cineasta Antonio Olavo, o dia da audiência (28 de agosto) trazia muita emoção por conta da morte do Antonio José, em 1798, por envenenamento. Ele defendeu que os mártires da Revolta dos Búzios também sejam valorizados em 8 de novembro nas esferas estadual e federal.
Ao justificar o movimento abraçado por Marta Rodrigues para a instituição da data histórica em Salvador, Olavo destacou que “a história do povo negro tem que ser contada como história de resistência, de dignidade e de orgulho”.

Antonio Olavo defende que os mártires da Revolta dos Búzios também sejam valorizados em 8 de novembro nas esferas estadual e federal.

Aos alunos do ensino médio e fundamental do Colégio Estadual Ypiranga que acompanharam o debate como atividade interdisciplinar, Olavo falou dos cinco principais mártires da Revolta do Búzios, destacando a importância de cada um. 

Sobre as sentenças aplicadas pela justiça de época, considerou-as muito cruéis. “Eles foram enforcados e esquartejados. A crueldade da elite branca baiana foi terrível”, frisou.

Luiz Lopes

Integrante da Coordenação Nacional de Entidades Negras (Conen), Gilberto Leal frisou que a iniciativa para a criação do Dia Municipal em Memória dos Mártires da Revolta dos Búzios “é uma sequência do que a Conen vem fazendo para a valorização do povo negro, desde 2001”. No seu entendimento, além de Antônio José, Luiz Lopes também deveria ser reconhecido como um dos mártires do movimento emancipacionista.

No entendimento de Raimundo Bujão “a resistência do povo negro passa pela reparação”

No entendimento de Raimundo Bujão, do Movimento Negro Unificado, “a resistência do povo negro passa pela reparação”. Ele apontou que essa resistência está presente nos blocos afro de Salvador, sobretudo nas letras de suas canções.

Além da audiência pública, sugerida por Olavo e Bujão, a vereadora Marta Rodrigues disse que a Câmara fará uma sessão especial no dia 8 de novembro para reforçar o processo de instituição do Dia Municipal em Memória dos Mártires da Revolta dos Búzios. (Fonte: Ascom Câmara de Salvador/ Fotos: Reginaldo Ipê.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas