Saúde

Ministério da Agricultura manda recolher todas as marcas da cervejaria Backer

A suspeita de contaminação por dietilenoglicol se estende às outras marcas de cerveja produzidas pela cervejaria Backer, além da Belorizontina. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) intimou a empresa a fazer o “recall” de todas as cervejas e chopes de todas as mrcas produzidas entre outubro de 2019 e dia 13 de janeiro.

A suspeita de contaminação por dietilenoglicol se estende às outras marcas de cerveja produzidas pela cervejaria Backer (Foto: [email protected]).

A cervejaria conta com 21 rótulos. De acordo com o órgão público, a comercialização está suspensa até que seja descartada a possiblidade de contaminação dos demais produtos.

O Mapa esclarece que não há, entretanto, resultado laboratorial que confirme a presença de etilenoglicol ou dietilenoglicol, substâncias tóxicas usadas em processos de resfriamento, nas demais marcas da empresa. “Os produtos estão sendo analisados e, caso existam resultados positivos, novas medidas serão adotadas”, informa a nota.

Em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira, a Polícia Civil (PC) identificou as substâncias tóxicas monoetilenoglicol e dietilenoglicol na linha de produção da cervejaria, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

Essas substâncias são usadas na indústria cervejeira na etapa de resfriamento do líquido, para depois haver a fermentação. Elas correm numa espécie de serpentina, na parte externa dos tanques, e não tem contato direto com o líquido.

Exames de sangue de pacientes internados com a síndrome nefroneural deram positivo para o dietilenoglicol. Até então, são 11 casos suspeitos, mas a PC afirmou pela manhã que eles podem dobrar. Uma das vítimas morreu.

Em coletiva de imprensa na sexta-feira, a diretoria da Backer informou que não usa esse agente químico no seu processo de fabricação, apenas o monoetilenoglicol.

Também de acordo com a Backer, os mesmos tanques são usados na produção de todos os rótulos da empresa, sem haver distinção de marcas. (Fonte: O Estado de Minas).

To Top
%d blogueiros gostam disto: