Mundo

Explosão em Beirute deixa mais de 73 mortos e lembra Hiroshima

As duas fortes explosões sucessivas que atingiram Beirute, no Líbano, nesta terça-feira (4/8), foram sentidas até em países vizinhos. Segundo testemunhas, as explosões puderam ser ouvidas na cidade costeira de Larnaca, no Chipre, a pouco mais de 200km da costa libanesa.

As explosões, que ocorreram na área portuária, deixaram ao menos 73 mortos e cerca de 3.700 feridos, de acordo com informações do Ministério da Saúde libanes.

Segundo a pasta, este balanço é provisório, de acordo com o diretor-geral do ministério, Fadi Sanan. Mais cedo, o ministro da Saúde, Hamad Hassan, havia dito que os hospitais da capital libanesa estavam lotados com o fluxo de feridos.

Por sua parte, Georges Kettaneh, presidente da Cruz Vermelha Libanesa, se referiu a “centenas de feridos” em um comunicado na televisão libanesa LBC. “Estamos sobrecarregados pelos telefonemas”, disse ele.

O governo decretou um dia de luto nacional na quarta-feira, enquanto o presidente convocou uma reunião de emergência do Conselho Superior de Defesa.

Uma autoridade de segurança local disse que as explosões podem estar ligadas a “materiais explosivosconfiscados e armazenados em um armazém “por anos”. Impactos 

Janelas e vitrines de muitos prédios e lojas quebraram nos arredores. Vídeos postados nas redes sociais mostram uma primeira explosão seguida de uma outra que provoca uma gigantes nuvem de fumaça.Explosões causaram destruição e deixaram feridos em região portuária de Beirute.

A área portuária foi isolada pelas forças de segurança, que só permitem a passagem de agentes da defesa civil, o balé de ambulâncias com suas sirenes e caminhões de bombeiros.

Nas proximidades do distrito portuário, os danos e a destruição são enormes. A mídia local transmitiu imagens de pessoas presas em escombros, algumas cobertas de sangue.

Segundo informações preliminares da imprensa local, as explosões resultaram de um incidente no porto de Beirute. Mas as circunstâncias e os detalhes do incidente permanecem desconhecidos.

“Os prédios estão tremendo”, tuitou um morador da cidade, dizendo que “todas as janelas do (seu) apartamento explodiram”. 

De acordo com os correspondentes da AFP, muitos residentes feridos andam nas ruas em direção a hospitais. No bairro de Achrafieh, os feridos correm para o Hôtel Dieu. Em frente ao centro médico de Clémenceau, dezenas de feridos, incluindo crianças, às vezes cobertas de sangue, esperavam para serem admitidos. 

Quase todas as vitrines das lojas dos bairros de Hamra, Badaro e Hazmieh estavam quebradas, assim como os vidros dos carros. Muitos veículos, aliás, foram abandonados nas ruas com os airbags inflados. (Com informações da AFP)

To Top
%d blogueiros gostam disto: