Cultura

Após 77 anos da sua publicação, “O pequeno príncipe” continua atual e lido em todo o mundo

Antes de ler esse livro, eu me sentia a “Sra. Diferente” por nunca tê-lo lido. Por outro lado, quando terminei a leitura, me senti uma “Boba” (com B maiúsculo) por ter demorado tanto. Um verdadeiro tesouro em forma de livro! Profundo, sábio, doce e totalmente encantador.

“É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas”

Como eu fiz muitas anotações – praticamente uma a cada duas páginas – vou dedicar a publicação da semana que vem apenas para trechos marcantes que separei enquanto lia. Hoje, falo sobre considerações gerais dessa obra clássica.

ENREDO – Um piloto cai com seu avião no deserto e encontra uma criança loura, frágil e delicada, que diz ter vindo de um pequeno planeta distante dali.

A partir da convivência durante alguns dias, os dois repensam os seus valores, discutem diversos assuntos e encontram o sentido da vida.

ANO DE PUBLICAÇÃO – “O pequeno príncipe” foi publicado pela primeira vez em 1943. Mesmo tendo sido lançado há quase 80 anos, ainda é o segundo livro mais traduzido no mundo (depois da Bíblia). E isso diz muito sobre ele, certo?

Saint-Exupéry voou no Brasil e fez amigos em Florianópolis (Reprodução/Facebook)

O que será que ele traz para se manter tão atual e mexer com tantos leitores por todo o planeta? Essa era a questão que mais me intrigava antes de eu conhecer seu conteúdo. Após a leitura, contudo, descobri o motivo e o principal: compreendi esse “sucesso”.

É quase impossível colocarmos em palavras tudo o que pensamos e sentimos durante a essa leitura.

TEMAS DISCUTIDOS – Através de diálogos entre o principezinho e o piloto, o autor nos apresenta diversas questões que despertam reflexão e deixam lições preciosas.

Todos os diálogos e os trechos de narrativa nos fazem pensar em nossa infância, nossos ideais, nossas atitudes e as experiências durante toda nossa trajetória de vida. E, acima de tudo, nos faz pensar sobre amizade, acolhimento, coisas que valorizamos (principalmente as fúteis) e as relações que construímos com as pessoas e coisas durante a vida.

ATEMPORAL – Não é uma leitura para crianças. Mas nem só para adultos. É um livro atemporal que pode ser lido por pessoas de todas as idades.

Dependendo da idade e da experiência de casa um, as mensagens terão efeitos distintos, mas todas são tocantes!

A questão da mudança de nossa subjetividade ao longo dos anos tem muita relação com esse livro. Tanto é que muitos leitores que me acompanham no Ju Entre Estantes relataram que o leram quando eram mais novos e releram com uma idade mais avançada. O resultado foi unânime: todos tiveram uma visão diferente enquanto reliam.

Além disso, é um livro curto, o que facilita o manuseio e mesmo a leitura a qualquer tempo.

Uma obra sensível, surpreendente, às vezes triste, mas totalmente encantador!

E quem ainda não leu… Vale a pena começar hoje!

Por Júlia de Aquino / Instagram literário @juentreestantes

To Top
%d blogueiros gostam disto: