Justiça

MP pede, Ramírez é inocentado e juiz arquiva o inquérito; Gerson mentiu e farsa é desmascarada

O juiz Marcel Laguna Duque Estrada, da 36ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, decidiu arquivar o inquérito policial de racismo envolvendo o jogador Ramírez, do Bahia, e Gerson, do Flamengo. A decisão veio após pedido do promotor de Justiça do Ministério Público do Rio, Alexandre Themístocles.

Ramirez foi acusado de forma vil pelo meia Gerson; agora foi inocentado

Ramírez foi acusado de ter dito “cala a boca, negro”, durante o jogo entre as duas equipes, em dezembro de 2020, pelo Campeonato Brasileiro. Themístocles relata em seu pedido que Bruno Henrique e Natan, do Flamengo, disseram não ter ouvido a ofensa racista, assim como a arbitragem e o técnico Mano Menezes, que estava comandando o Tricolor no jogo.

O promotor também citou o laudo pericial do perito oficial do Instituto de Criminalística Carlos Éboli, que “não indica a ocorrência da agressão verbal noticiada por Gerson Santos da Silva. A prova técnica tão somente degrava trecho de entrevista e diálogos entre o atleta Gerson e o treinador Luiz Antonio Venker Menezes”.

Em fevereiro, o caso já havia sido arquivado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). 

Com vínculo no Esquadrão de Aço até dezembro, Ramírez lesionou o joelho no começo de fevereiro e vai precisar passar por uma artroscopia. Ele deve retornar ao gramado em seis meses. (Fonte: Portal Terra).

To Top
%d blogueiros gostam disto: