História

Gonzaguinha: 30 anos sem um dos maiores nomes da MPB

Sim, se faz necessário e urgente – especialmente nos tempos atuais – reencontrar Gonzaguinha e sua obra, permeada que era entre levezas melódicas e letras que esbravejavam lutas. 

Gonzaguinha morreu precocemente em 1991, no dia 29 de abril (Foto: Instagram)

O Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior que precocemente se foi em 1991, mais precisamente em um 29 de abril aos 46 anos, vitimado por um acidente de carro no Paraná, vem à tona com o lançamento hoje de “Redescobrir”, canção que ganhou nova roupagem na voz da cantora paulista Bruna Caram, em parceria com o cantor e compositor Zé Renato.

A música, composta por Gonzaguinha e faixa do álbum “Coisa Maior de Grande – Pessoa” de 1981, pela EMI, ficou conhecida também na voz de Elis Regina e foi a escolhida por Caram como o primeiro single do álbum “Afeto e Luta – Bruna Caram Canta Gonzaguinha”, previsto para lançamento no final do ano, com repertório integralmente tomado por faixas do cancioneiro de um dos maiores nomes da composição brasileira.

“Obrigada, Luiz Gonzaga Jr., pela sua obra que é pela alegria, consciência, coragem e sempre boa para o encontro! A força dessa obra, quanto mais visito, mais me emociona”, declarou Caram em rede social, celebrando o a estreia do single.

Ilustrado e produzido por Jean Wyllys

“Redescobrir” ganhou capa do político, pesquisador e ilustrador Jean Wyllys, que também está à frente do repertório do disco, que reforça Bruna Caram em meio a poética teatral que carrega quando interpreta. 

Capa do single “Redescobrir” Crédito: Reprodução/Instagram

“O verbo interpretar nunca fez tanto sentido quanto neste caso, já que Bruna coloca também suas habilidades como atriz e poeta para fazer sua releitura de parte da tão vasta quanto plural obra do artista carioca”, comentou Jean em postagem no Instagram.

Bruna Caram, dentro da programação de lançamento de “Redescobrir”, saúda Gonzaguinha no dia dos 30 anos de sua partida com live em seu Instagram a partir das 20h.

O Que é o Que é

Pelo menos nos últimos cinco anos, entre as 294 músicas e 348 gravações cadastradas no Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), “O Que é o Que é” foi a música mais tocada e regravada por outros intérpretes – com Maria Bethânia à frente dessa lista como a que mais deu voz ao cancioneiro do filho do Rei do Baião, que também integra o rol dos que mais o cantaram.

Também de acordo com o Ecad, nos últimos cinco anos a maior parte dos rendimentos em direitos autorais pela execução pública de músicas veio de rádios, TV’s e shows – com  os herdeiros de Gonzaguinha como recebedores legais, fato que perdura por 70 anos após a morte do autor, ou do último autor, em caso de parcerias. (Fonte: Folhape).

To Top
%d blogueiros gostam disto: