Política

Corpo de Bruno Covas, prefeito de SP, é enterrado em Santos

O corpo do prefeito Bruno Covas chegou às foi enterrado por volta das 18h30 deste domingo (16.mai.2021) na cidade de Santos. Ele foi sepultado no mesmo jazigo do avô, Mario Covas, no Cemitério do Paquetá.

A missa de corpo presente de Covas foi realizada na Prefeitura São Paulo

A cerimônia foi limitada a parentes e amigos. Tomás, filho de Bruno Covas, participou. O governador de São Paulo, João Doria, também esteve na despedida, assim como Ricardo Nunes (MDB), que agora assume em definitivo a prefeitura de São Paulo.

A missa de corpo presente de Covas foi realizada na Prefeitura São Paulo. Depois, o corpo foi levado em cortejo por ruas da região central até a avenida Paulista.

A despedida no Edifício Matarazzo, sede da Prefeitura, também foi limitada a familiares e amigos para evitar aglomeração e risco de contágio pela covid-19.

O governador João Doria estava entre os presentes (Edson Lopes Jr./ Secom Prefeitura SP)

Dezenas de pessoas acompanharam cortejo. Carregavam balões brancos em homenagem ao prefeito. Na Paulista, muitos usavam azul e amarelo, as cores do PSDB.

A morte de Bruno Covas

O prefeito morreu neste domingo (16.mai.2021) às 8h20, aos 41 anos. Estava internado desde 2 de maio no hospital Sírio-Libanês. Fazia tratamento desde 2019 contra um câncer na cárdia, entre o estômago e o esôfago. A doença se espalhou para o fígado e ossos.

Caixão de Bruno Covas é levado pelo Corpo de Bombeiros (Edson Lopes Jr./ Secom SP)

Com a morte de Covas, o vice-prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB), assume definitivamente a gestão de São Paulo. Já atua como prefeito interino desde o licenciamento do titular.

Na 6ª (14.mai.2021), às 19h30, boletim médico divulgado pela equipe do Sírio-Libanês indicava que o quadro clínico do prefeito já era considerado irreversível. Familiares e amigos estiveram no hospital para se despedir de Covas.

O tratamento contra o câncer levou Covas a se licenciar da Prefeitura de São Paulo em 2 de maio, menos de 6 meses depois de ser reeleito. Em nota, o prefeito afirmava que se afastaria por 30 dias para se dedicar “integralmente” ao tratamento. No dia seguinte, ele foi transferido para a UTI (unidade de terapia intensiva) e intubado depois de um sangramento no estômago. Horas depois, segundo o hospital, os equipamentos de intubação foram retirados. Na semana que se encerrou, Covas havia iniciado novo tratamento. (Fonte: Poder 360).

To Top
%d blogueiros gostam disto: