História

População de Araci se despede de médico que foi assassinado e jogado no Rio Jacuípe

O médico Andrade Lopes Santana, de 32 anos, que estava desaparecido desde o dia 24 de maio, encontrado boiando nas águas do Rio Jacuípe, foi enterrado no final da manhã deste sábado (29), no cemitério de Araci, no semiárido baiano, onde ele morava e trabalhava.

População de Araci foi às ruas homenagear o médico assassinado (Foto: WhatsApp)

Um cortejo foi realizado na manhã deste sábado em despedida ao médico e foi acompanhado por uma multidão. O carro com o corpo do médico saiu da casa onde ele residia, parou na Câmara de Vereadores e seguiu para o cemitério, onde Dr. Andrade foi enterrado.

O desejo da família era cremar o corpo de médico, mas como ele foi vítima de um crime, a opção não foi seguida.

Multidão no cortejo com corpo de médico (Foto: Bruna Evangelho/TV Subaé)

O corpo de Andrade Lopes Santana foi encontrado no Rio Jacuípe, em São Gonçalo dos Campos, na manhã de sexta-feira (28). Horas depois, o colega dele, identificado como Geraldo Freitas, foi preso. Ele próprio foi o responsável por registrar o desaparecimento do amigo na delegacia de Feira de Santana.

O médico Andrade foi enterrado em Araci (Foto: Bruna Evangelho/TV Subaé)

Geraldo Freitas estudou medicina com Andrade em uma faculdade da Bolívia. Concluído o curso, os dois se mudaram para o interior da Bahia para trabalhar.

Moradores de Araci em frente à Câmaras (Foto: Bruna Evangelho/TV Subaé)

Investigações

De acordo com o delegado Roberto Leal, que é coordenador de polícia na região de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Araci, o suspeito chegou a receber os familiares da vítima, que moram no Acre, quando eles chegaram à Bahia. O delegado informou ainda que a polícia investiga se houve participação de outras pessoas, além da motivação do crime. “Até o presente momento é uma incógnita para nós”, disse o delegado Roberto Leal.

O médico Geraldo Freitas foi preso após suspeita do delegado (Foto: Aldo Matos)

De acordo com os peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT), foi constatado um disparo de arma de fogo na nuca do médico e uma corda no braço foi amarrada a uma âncora para o corpo não emergir nas águas do rio Jacuípe.

O delegado informou que a polícia começou a suspeitar de Geraldo Freitas após contradições apresentadas no seu depoimento. Depois, foi identificado que ele foi quem comprou a âncora encontrada junto ao corpo da vítima.

O médico Andrade Lopes Santana estava desaparecido desde o dia 24 de maio, quando saiu de casa em direção à cidade de Feira de Santana | Foto: Reprodução/TV Subaé

Ainda segundo a polícia, o suspeito e a vítima tinham combinado de andar de moto aquática. A versão apontada pelo colega de Andrade na delegacia era a de que o amigo tinha comentado que sairia para comprar a moto, o que foi descartado.

Uma moto aquática foi encontrada no condomínio onde o suspeito foi preso, no início da tarde de sexta-feira, em Feira de Santana.

A mãe de Andrade, Domitila Lopes, contou que já esperava que o filho estivesse morto

A mãe de Andrade, Domitila Lopes, contou que já esperava receber a notícia de que o filho estava morto quando viajou para acompanhar as investigações na Bahia. “Desde o desaparecimento dele até hoje, quando encontramos o corpo, eu já sabia que ele estava morto”, disse. Já a tia do médico, Maria Lopes, pediu justiça pelo crime. (Por TV Subaé e G1 BA).

To Top
%d blogueiros gostam disto: