História

Riachão: Mulher morre em decorrências de complicações da Covid

Morreu na manhã desta segunda-feira (31/05), em decorrência de complicações da Covid-19, a jacuipense Tânia Maria Gomes de Lima, aos 51 anos. Ela foi socorrida para o Hospital Municipal, em Riachão do Jacuípe, mas não resistiu.

Tânia morreu por complicações da Covid-19 (Foto: WhatsApp)

Segundo informações de familiares, Tânia aparentemente esteve bem durante a noite, mas logo ao amanhecer do dia apresentou vários problemas. Socorrida para o hospital, ela havia sofrido um infarto e chegou a ser intubada. O médico ainda sugeriu que ela fosse transferida e a regulação ainda foi iniciada.  

Contudo, diante dos problemas que Tânia deu entrada no hospital, com pressão alta, diabetes, e o infarto, o seu quadro era muito grave. Depois, após resultado dos exames, ficou constatado que ela estava com Covid-19.

“Foi tudo muito rápido e até curioso. Então, ela morreu muito rápido, chegou a ser intubada, e é um caso que cabe muita reflexão. Reflexão porque a gente nunca sabe como é que a gente tá por dentro. Por exemplo, ela chegou no hospital já com tudo muito alto, pressão, diabetes, segundo relatos da irmã Ana. À noite, elas conversaram, riram, e aí, de manhã cedo, já nessa crise, levou rápido para o hospital, mas não teve jeito. Enfim, eu achei impressionante a rapidez, não deu tempo para muita coisa”, lamentou a jornalista Laura Ferreira, amiga da família.

Tânia foi socorrida para o Hospital Municipal, mas acabou vindo a óbito

Tânia é filha de Dona Genésia e morava há muitos anos no Rio de Janeiro, mas havia se mudado para Salvador. Ela sempre retornava a Riachão para visitar a mãe, que mora no bairro da Barra do Vento. Nestes dias ela veio comunicar â mãe que estava retornando ao Rio de Janeiro para vender uma casa que tinha por lá.

Irmão em São Paulo

Irmão de Tânia, Antonio de Genésia (ou Tonho de Genésia), como é mais conhecido entre os amigos, ficou muito sentido com a morte da irmã. Mesmo de São Paulo, ele tentou de todas as formas um socorro, mas infelizmente foi tudo muito rápido. Por telefone, Tonho chegou a falar com o prefeito Carlos Matos, de quem foi colega de colégio, mas todos os esforços foram em vão.

Distante, ele recebeu a confirmação da morte através da outra irmã Ana, que havia tido a confirmação de uma enfermeira que Tânia havia morrido por complicações da Covid-19.

“A enfermeira acabou de avisar à minha irmã que foi covid, cara. Você acredita? Foi covid, meu irmão. Nem vai ter velório, velho. A única coisa que ela falou sexta-feira pra mim, foi que me amava. Me amava e foi embora… Foi covid”, disse Tonho, através de mensagem pelo WhatsApp ao jornalista Evandro Matos, lamentando a morte da irmã.  

To Top
%d blogueiros gostam disto: