História

No Acre, amigos e família soltam balões brancos em homenagem ao médico de Araci, Dr. Andrade

Amigos e familiares do médico acreano Andrade Lopes Santana, de 32 anos, que estava desaparecido desde o dia 24 de maio e foi achado amarrado a uma âncora em um rio na Bahia, fizeram uma homenagem para ele na tarde de domingo (30), em Brasileia, no interior do Acre.

Familiares e amigos soltaram balões brancos para homenagear o médico (Foto: WhatsApp)

Vestidos de branco, os cerca de 100 participantes soltaram balões também brancos e se emocionaram ao relembrar da trajetória do jovem que nasceu na cidade do interior do estado acreano e foi morar na Bahia para exercer o sonho da medicina desde 2016. O momento contou ainda com várias falas dos amigos e parentes e orações.

Médico Andrade Santana era natural de Brasileia e morava na Bahia desde 2016

Uma das amigas que participou do evento, Karolyne Soares contou que era esperado que o corpo do rapaz fosse enterrado na cidade, mas, como não foi possível, eles resolveram, de qualquer forma, fazer uma homenagem. Ela disse que Santana era muito querido por todos e que deixa saudade.

Médico foi sepultado em Araci, onde trabalhou durante três anos

“A gente não poderia deixar de fazer alguma coisa para homenageá-lo. Ele era muito nosso amigo e muito querido. Esperávamos que ele nos visitasse por esses tempos, porque já fazia um tempo que ele não vinha porque estava com esse projeto social lá em Araci [BA] e ele foi adiando a vinda dele. Ele tinha até falado para uma amiga nossa que precisava ver a mãe dele e nos ver. Nós reunimos amigos da época da escola e da faculdade e outros que ele conhecia aqui, familiares e até pessoas que nem o conheciam, mas que se comoveram com a história e resolveram participar”, disse a amiga.

‘Era o que ele faria’

A mãe do médico, Domitília Lopes falou que a homenagem é um consolo para o coração, que está despedaçado com a perda do filho. Ela disse que continua na Bahia e aguarda por mais novidades das investigações, inclusive para saber qual a motivação do crime.

A mãe do médico, Domitília Lopes, falou que a homenagem é um consolo para o coração

“Era o que meu filho faria se tivesse acontecido com um amigo dele, porque ele amava todo mundo, fiquei muito feliz. A primeira coisa que me conforta é Deus na minha vida e a segunda é esse carinho do povo.

To Top
%d blogueiros gostam disto: