Especial

Entenda como surgem as variantes dos vírus e por que, na pandemia de Covid, a Delta preocupa

A variante Delta, que surgiu na Índia, e uma subvariante, a Delta Plus, parecem ser muito mais transmissíveis que as outras variantes conhecidas, além de mais resistentes aos nossos anticorpos.

Ilustração mutação do Coronavírus | Crédito da foto: Reprodução Internet

Na pandemia de Covid, o mais novo problema se chama variante Delta. Ela surgiu na Índia e está ligada à explosão de casos por lá, em abril, com mais de 4,5 mil mortes diárias e o colapso total do sistema de saúde.

A variante e uma subvariante dela, a Delta Plus, parecem ser muito mais transmissíveis que as outras variantes conhecidas, além de mais resistentes aos nossos anticorpos. “Pode ser mais agressiva também. Levar a casos mais graves, de uma maneira mais rápida. E não havendo atendimento de saúde adequado, ela leva um aumento do número de óbitos”, afirma o virologista Fernando Spilki.

Mas como surge uma nova variante? Com poucos casos, é pequena a chance de uma surgir. Mas não é o caso da Índia ou do Brasil, por exemplo, onde surgem cerca de 70 mil casos novos todo dia.

“Como é um processo ao acaso, se você não tem um controle adequado, se você não vacina na quantidade adequada, aí é que você permite, sim, que a variante surja e ela se dissemine, e que talvez ela se torna um problema no futuro”, explica Spilki.

Crédito da foto: Reprodução Internet

Para entender como surge uma variante, vamos lembrar que os vírus são bem primitivos –basicamente, um material genético, que pode ser RNA ou DNA, com uma “capinha” de proteína. O novo coronavírus é de RNA.

Os vírus invadem as nossas células para se multiplicar. Só que, às vezes, na hora dessa multiplicação, ao acaso, acontecem erros. Muda uma ou outra letra no RNA. E isso pode provocar mudanças nas proteínas que o vírus fabrica. Essas mudanças são as chamadas mutações. E os vírus que contêm essas mutações são as variantes.

A maioria das mutações não tem consequência. Mas, quando uma mutação traz uma vantagem pro vírus – por exemplo, ele fica mais poderoso pra invadir nossas células -, aí ela tende e se manter e se multiplicar, tomando conta do terreno que antes era de variantes menos “poderosas”. (Fonte: Fantástico / G1)

To Top
%d blogueiros gostam disto: