História

Barra do Choça: Corpo do atleta baiano encontrado morto em SP é sepultado

Foto: AFP

Na manhã desta quinta-feira, 8, foi enterrado o corpo do atleta baiano Leandro Prates Oliveira, de 39 anos, medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2011. O sepultamento aconteceu na zona rural do município de Barra do Choça (distante a 524 km de Salvador), no centro-sul do estado.

Familiares e amigos estiveram presentes para prestar uma última homenagem a Leandro, que atuava como policial militar no estado de São Paulo. O corpo foi velado em uma capela que fica localizada no povoado Santo Antônio II e, em seguida, um cortejo fúnebre foi responsável por levar o caixão até o cemitério.

Diversas lembranças da gloriosa carreira de atleta estiveram ao lado do seu caixão nos últimos momentos, inclusive, a medalha de ouro conquista no Pan.

Por meio de nota, a Prefeitura de Vitória da Conquista e a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) lamentaram o falecimento e prestou as devidas homenagens a Leandro Prates.

Acidente

Leandro Prates foi encontrado morto na terça-feira, 6, após ficar desaparecido por um dia. O corpo dele foi encontrado em uma ribanceira, localizada no Km 75 da rodovia Fernão Dias, em trecho que pertence ao município de Mairiporã, no estado de São Paulo.

De acordo com a Polícia Militar (PM-SP), a probabilidade é que Leandro tenha sofrido um acidente, após colisão da sua moto em um veículo na estrada. Diariamente, o policial fazia o trajeto de sua casa, que fica em Atibaia, até a capital paulista, onde trabalhava na Escola de Educação Física da Polícia Militar.

Na segunda-feira, 5, o mesmo trajeto não foi completado e a moto de Leandro foi encontrada na estrada no dia seguinte, na região do túnel da Mata Fria, conhecida pelas curvas. O corpo do PM foi encontrado horas depois no meio da mata. Amigos relataram que ele estava com sua arma e não havia marcas de violência, refutando a possibilidade de assassinato.

Carreira de sucesso

Natural de Vitória da Conquista, Leandro Prates Oliveira começou a correr desde muito jovem, em provas de rua ainda na adolescência. Com pouco tempo de treinamento, ele se mudou para São Paulo, onde passou a se destacar ainda mais no atletismo nacional.

Em 2011, nos Jogos Pan-Americanos disputados em Guadalajara, no México, Leandro venceu a prova dos 1.500 metros, onde superou o equatoriano Byron Piedra por exatos um centésimo. Ele também foi bicampeão ibero-americano, em 2010 e 2012, e tricampeão nacional.

Ele disputou sua última temporada competitiva no ano de 2019, onde representou a ONG Sylvio de Magalhães Padilha, da qual ele era embaixador.

(Fonte: Augusto Urgente) *Com informações do A Tarde

To Top
%d blogueiros gostam disto: